Pesquisar neste blog

Pra quem devemos ser importantes?

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Às vezes queremos ser importantes pra quem não nos dá nenhuma importância; assim, damos o melhor de nós para pessoas que não estão nem aí. Pra elas o importante é que você se doe, esteja online, conectada e obedeça os comandos. Pensamos nela sem cessar, acordamos lembrando do beijo que nunca foi dado, acalentando um sonho que se torna cada dia mais apenas um sonho. Aguardamos ligação, respostas, um início de conversa, ou o fim de uma conversa. Escrevemos uma história vivida apenas por nós mesmos.
Há pessoas que estão na sua vida, mas você é só um figurante, um objeto de cena como uma cadeira, um ventilador, uma mesa. Apenas um objeto de cena. Quando esperamos um obrigado, recebemos uma tapa na cara, na forma de desprezo, de palavras ríspidas, ou de monossílabos fortuitos. Queremos ouvir uma odisséia, ouvimos só o eco do silêncio mais frio.
Chega um momento em que é preciso reavaliar sua posição, seu papel na sua história. Quem é você na sua vida mesmo? Você é o ator principal? Sua história é uma história mesmo, pra ser vivida por você? Devemos ser importantes pra nós mesmos, dar o melhor pra nós mesmos também. Valorizar o momento agora, sua voz, sua ideia, suas aspirações. Ter sonhos, sim, mas que não escravizem a vida real. Ser fiel aos nossos princípios, nunca esquecer a auto-estima. Saber dizer não, ainda que represente perder algo que gostemos, mas que, apesar do gostar, nos prejudica profundamente.
É preciso lembrar de olhar e cultivar afeto e carinho em quem nos ama de verdade, em quem nos mostra respeito; devemos fazer o possível para valorizá-las e mostrar a elas quanto são importantes pra nós, pra nossas vidas.

(Jackson Angelo)

Quando o diálogo na internet é interrompido

sábado, 20 de novembro de 2010

Nestes mais cinco anos de blogagem uma das coisas mais negativas que posso destacar no meio digital é o diálogo interrompido.
O diálogo interrompido se dá quando contactamos alguém ou alguém nos contacta e faz uma crítica, uma proposta, pede dúvidas, orçamentos, entre outras coisas, contudo o diálogo não é concretizado. Fica um eterno sinal de interrogação (?)!
Você fica sem resposta, ainda que tenha respondido.
E o pior, se você é uma só pessoa que edita o blog, e recebe muitos pedidos pode acabar perdendo o controle das mensagens, principalmente se possui trabalhos paralelos e não mantém um rígido controle destas informações. Obviamente, a gente tende a priorizar o que garante nossa vida emocional e nosso sustento. No meu caso, realmente perdi esse controle, porque o blog é, acima de tudo pra mim, uma forma de diversão, de concentrar em um só lugar coisas que levantem o ânimo. Foi por isso que retirei o formulário de contato do blog. Havia um monte de pedidos feitos diariamente, e eu mal tinha tempo de responder, quanto mais de atender os pedidos!
Não sei ao certo quantas pessoas notaram que o diálogo ficou interrompido. Porque também muitos inseriam e-mails errados no preenchimento do formulário. Algumas solicitações eu respondia pedindo mais informações para eu poder ter certeza do que o internauta tinha em mente e novamente o diálogo ficava interrompido. Não havia um retorno.
Por mais que você compartilhe material, há sempre alguém que não vai estar satisfeito. Por exemplo, o blog tem milhares de molduras de crianças. Mesmo assim, sempre tem pessoas que pedem pra colocar mais.
Eu sempre pensei que havia algum tipo de atitude ou interpretação equivocada apenas de alguns usuários, mas mesmo entre as pessoas que se dispõem a disponibilizar conteúdo é provável que se encontre o mesmo tipo de atitude. Há muitos editores de blogs e sites que não respondem seu contato.
Isto não ocorre apenas com sites pequenos, mesmo editores de sites com um razoável conteúdo ou da grande mídia demonstram esse tipo de atitude: não se consegue estabelecer um diálogo eficiente, completo, muitos nem respondem seu e-mail, ou não dão sequência ao diálogo. Nesse aspecto, admiro os editores de sites americanos, eles realmente respondem as solicitações, utilizam de uma linguagem sociável, objetiva, dificilmente agridem. Sabem ouvir um não ou um sim sem levar para a esfera pessoal. Claro que há exceções!
Logicamente, o diálogo interrompido não é nada que faça com que a gente se abale, mas representa uma indesejável perda de tempo. O pior é que sei que os internautas a quem não respondi, por alguma razão, vão somar esse tipo de atitude ao conceito que fazem do blog. Um conceito negativo tende a afastar as pessoas.
Este ano de 2010 foi o ano campeão de diálogos interrompidos do blog. Alguns tipos de mensagens claro que a gente nem tem como merecedora de divulgação, crédito ou digna de resposta, e devem ser sumariamente ignoradas e deletadas. Mas há casos em que estamos com sincero interesse em, dentro das possibilidades, guardar, manter e finalizar o contato de modo respeitoso.
Tem também o caso de pessoas que desaparecem por completo. Começam a te mandar e-mail, você vai respondendo. De repente, você nem existe mais; envia um, dois e nada. O que pensar, principalmente se você tinha aquela pessoa em tão boa consideração? Não pense, interrompa o pensamento também!
(Jackson Angelo)

A epidemia do bullying

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

A violência de modo geral ganhou dimensões astronômicas no Brasil e no mundo. Em minha pacata cidade, Cabedelo, que possui cerca de 58 mil habitantes, pessoalmente eu nunca tinha ouvido sequer um tiro de revólver.
Atualmente, eu e toda minha cidade ouve não só os tiros frívolos de revólveres, como assiste a morte quase diária de jovens escravizados pelo mundo do crack, com leis próprias as mais absurdas, em que até por dez centavos se mata uma pessoa.
Antes, aqui a gente dizia "morreu alguém disto ou daquilo". Mas agora, a gente pensa: qual o dia que não vai morrer uma pessoa aqui por conta deste maldito universo do crack?
Se a justiça, as autoridades fazem algo, só a consciência deles pode responder. Mas nem sei o que dizer. Não saio muito assim de casa, mas as constante notícias de crime, as cenas de jovens se destruindo e sendo destruídos, por si só creio que dão uma resposta que merece crédito.
As escolas também não escapam dessa multiforme escalada da violência. O fenômeno do bullying, isto é, a violência repetitiva e intencional de alunos contra um ou mais alunos parece ser um dos cardápios dos "valentões do pedaço".
O bullying na Paraíba tem níveis muito altos. Nem sei se é possível falar em vergonha. Pra mim e pra muita gente ainda o termo vergonha faz sentido, não sei se para os governos e seus auxiliares possui. Por exemplo, João Pessoa já é considerada a capital do nordeste em termos de bullying. Segundo dados do IBGE, cerca de 32,2% dos alunos paraibanos afirmam já ter sofrido atos de bullying. Que título, hein! Pelo menos, é também a primeira capital do país a ter uma legislação específica contra bullying.
Já escutei muitas histórias aqui sobre essas práticas de bullying. Espero que a repetição da mesma coisa não faça com que essa prática, a convivência e conivência com ela se banalizem. Tenho um sobrinho que já foi vítima de violência em uma conceituada escola de João Pessoa (nossa Jampa) e a diretoria de lá não tomou uma providência que mostrasse a devida dignidade no trato com o aluno, com a comunidade escolar e com os pais dos alunos. Imagine assistir aula com o olho estufado, roxo por conta de um murro e ver, saber que seu agressor nada sofreu?! Mas, graças a Deus, hoje, meu sobrinho passa muito bem, não ficaram sequelas e saiu dessa "escola".
O bullying está em alta. Não só em termos de debate, mas em termos de prática também. Por vários motivos: cor, raça, religião, jeito de ser, diferenças individuais, sexualidade, entre outros fatores. Basta que você não se encaixe nos parãmetros dos grupinhos e suas ideias e valores dominantes. Por conta dessa escalada, não é à toa que já é considerado um caso de saúde pública no Brasil.
Não é só no Brasil. Não foi à toa que o poderoso presidente dos Estados, Barack Obama, veiculou um vídeo para a campanha "It gets better" (ficará melhor) em que expressa sua indignação contra o bullying praticado contra alunos gays, dentre os quais muitos cometem suicídio por conta do bullying.
Acha que no Brasil é diferente? A despeito de toda visão que se tenha, estes alunos são cidadãos, independente de sua opção sexual ou não, cor ou não, classe social ou não, todos são seres humanos e devem ser respeitados a todo o custo.
Relembrando minhas primeiras séries do ensino fundamental, recordo que o bullying já existia. Não posso dizer, contudo, pela minha experiência, se já tinha os contornos de maldade que hoje têm. Os valentões e covardes sempre existiram. Temos que olhar pra nossa própria vida escolar e tentar refletir sobre como convivíamos com as diferenças na escola. Como éramos tratados pelos colegas e concluir se isto já existia ou não, só que ainda não tinha essa denominação e não ocupava tanto espaço nos noticiários.
Posso dizer que os gordos eram humilhados, apelidados, rotulados por serem gordos. Que alguns eram taxados negativamente pela cor, se não por alguém em particular, mas havia a prática. Até o fato de alguém ser muito branco já era motivo pra uma rotulação. Não posso dizer que a percentagem era grande, mas nas minhas memórias sei que isso acontecia. Pode-se questionar se era sistemático isso, repetitivo. Sim, repetitivo. Talvez não só por uma pessoa. Muitas vezes, há vários agressores, muitas vezes a impunidade impera e humilhar se torna uma forma de ser superior e de estar dentro do que é visto como padrão.
O fato é que algo muito urgente, objetivo, sincero, realista precisa ser feito. Que esse algo chegue até nossas vidas diárias sem precisar alguém ir pra televisão ou divulgar HEROICAMENTE em jornais que existem projetos e leis disso ou daquilo. Que a própria vida, os fatos nos mostrem, que a nossa sensibilidade capte tudo isso. Da mesma forma que facilmente notemos esse mal, facilmente também notemos e vivamos e sejamos abençoados pelo bem que desejamos e precisamos para nossa sociedade.
(Jackson Angelo)

Meu redemoinho

quarta-feira, 17 de novembro de 2010



Não sei o que eu quis dizer totalmente com esse texto, mas gostei dele.

Não achei ainda uma canção com as notas que falem do que sinto. Mas é tanta coisa que sinto, ao mesmo tempo, olho em tantas direções, escuto tantos barulhos, parece tudo tão desarmônico. Nem sei se tem como falar. É como se tivesse acabado a lógica do tempo e do espaço. Não me sinto em mim mesmo nem se esse momento é real. Prefiro tentar acreditar que é um sonho tentando invadir com suas confusões de alegria e dor o meu viver.
Não achei ainda um silêncio em que pudesse colocar meu pensamento e meditar em algo que me fizesse redescobrir a mim mesmo. Esse mim mesmo já parece tão bizarro. Vou acumulando tempos, histórias, repetições, justiças, transgressões e amores.
Várias vezes sou como uma estátua imóvel, mas estou deslizando em universos paralelos do coração. Não faz sentido. Às vezes abuso de querer fazer sentido. Navegando no desconhecido do mar do sem-sentido talvez encontre uma ideia que ainda faça sentido.
Talvez com os loucos possa aprender bem mais do que com os normais vestidos de túmulos, sem questionamento, sem ousadia, sem imaginação, sem querer sair do que torna a vida uma cadeira pra assistir as cenas de um filme sem graça, com final previsível, com alegria matemática.
Não achei ainda o homem, a mulher, o poeta, o idealista que revolucionasse de verdade minha cabeça e minha forma de ver e até de me cegar pro mundo.
Ainda não encontrei a estória, o filme, o livro que retratasse minha vida, meu coração. Que trouxesse pra mim mesmo os significados, os sentimentos que talvez como lava quente adormecida estejam esperando apenas uma chance de entrar em erupção.
Talvez, fico pensando, nem precise de muito, ou talvez muito menos do que eu chegue a imaginar... ou até de nada mesmo.
Há um redemoinho dentro de mim que me suga pra paisagens do passado e do futuro, me vejo enfrentando meus medos intensa e incessantemente. É esse mesmo redemoinho que me leva pra fora da guerras que tenho que travar.
Quando o sol bate sobre mim sinto seu calor. Quando a chuva cai sobre o telhado ouço sua música. Quando as estrelas estão no céu escuro sei que seu brilho vem de muito, muito longe. Quando sinto a água me envolver e deslizar sobre meu corpo sinto como este mundo foi feito pra ser agradável.
Não há confusão, apenas vontade de ser a própria natureza dentro de mim, com sol, com chuvas, furacões, areia movediça, com vento, com árvores, frutos, animais selvagens e mansos, com cores as mais diferentes, mistérios os mais diversos, um monte de fenômenos ainda sem explicação, fascinando a imaginação.

(Jackson Angelo)

Deus ouve os humildes e sinceros

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Há basicamente duas possibilidades de ação quando alguém nos pede algo: atendemos ou não atendemos. Com Deus essas possibilidades se repetem. O que geralmente nos move para atendermos o pedido de alguém? Cada um sabe suas razões. E Deus, hein? O que faz com que Seu coração aceite e atenda nosso pedido, visto que praticamente tudo é possível pra Ele?
A bíblia nos dá muitas pistas bem fáceis de entender. Certamente, só cabe a Deus decidir na sua soberania quando e como atender. Alguns pedidos, por mais justos e cheios de amor, parece que passam de largo de Seus ouvidos. Contudo, é preciso aprender a confiar e respeitar Seu poder de decisão.
Hoje, abri a bíblia e me veio o versículo do Centurião de Cafarnaum (Mateus 8.5-13).
Vejamos:
"E, entrando Jesus em Cafarnaum, chegou junto dele um centurião rogando-lhe, E dizendo: Senhor, o meu criado jaz em casa, paralítico, e violentamente atormentado. E Jesus lhe disse: Eu irei, e lhe darei saúde.E o centurião, respondendo, disse: Senhor, não sou digno de que entres debaixo do meu telhado, mas dize somente uma palavra, e o meu criado há de sarar.
Pois também eu sou homem sob autoridade, e tenho soldados às minhas ordens; e digo a este: Vai, e ele vai; e a outro: Vem, e ele vem; e ao meu criado: Faze isto, e ele o faz. E maravilhou-se Jesus, ouvindo isto, e disse aos que o seguiam: Em verdade vos digo que nem mesmo em Israel encontrei tanta fé. Mas eu vos digo que muitos virão do oriente e do ocidente, e assentar-se-ão à mesa com Abraão, e Isaque, e Jacó, no reino dos céus; E os filhos do reino serão lançados nas trevas exteriores; ali haverá pranto e ranger de dentes. Então disse Jesus ao centurião: Vai, e como creste te seja feito. E naquela mesma hora o seu criado sarou."

Imaginem um centurião romano, alta autoridade romana. Vejam nele, como se fosse hoje, a figura de um rico empresário, até de um sultão, cheio de servos e pessoas subservientes. Ele estava preocupado com sinceridade com o estado de saúde de um de seus servos. Um claro sinal de amor.
Dirigiu-se a Jesus crendo tanto no seu poder, quanto na sua autoridade, e reconhecendo que apesar de ser um centurião, Jesus estava muito acima disso. Ele se humilhou com sinceridade.
Então Jesus se maravilhou. Quer dizer, o centurião pediu como um ser humano, sem levar em conta seu status social ou méritos. Ele não pediu com arrogância, não usou sua posição como forma de se impor a Deus.
Creio que essa é a forma de se dirigir a Deus, de Lhe pedir algo. Temos que colocar a humildade bem acima de qualquer centurião que houver no coração.
Deus atende aos humildes, os que pedem com coração quebrantado.
Espero ter humildade sempre que eu pedir algo a Deus. Um abraço.

Capa e rótulo de DVD para casamento em PSD

Capa e rótulo de DVD para casamento, com muitos efeitos de brushes do Photoshop; formato PSD, 300 DPI.
ATENÇÃO: as camadas estão desativadas, quando abrir, vá na aba de camadas e ative para visualizar. A fonte é Kunstler script e pode ser trocada por outra. Se quiser adicionar outras palavras com o mesmo efeito, copie o estilo (style) da fonte e cole no novo texto.

Para baixar clique na imagem. Arquivo compactado com cerca de 22 mb.

1 - Como montar foto e moldura com Photoshop:
http://jacksonangelo.blogspot.com/2009/03/tutorial-como-colocar-fotos-na-moldura.html
2- Como montar foto e moldura com o Gimp:
http://jacksonangelo.blogspot.com/2009/11/tutorial-como-juntar-foto-e-moldura-no.html
3 - Como montar foto e moldura com o Artweaver:
http://jacksonangelo.blogspot.com/2009/11/como-montar-foto-com-moldura-com-o.html

4 - Dicas de impressão e revelação (se pretende imprimir recomendo que leia):
http://jacksonangelo.blogspot.com/search/label/impressao

Eu estou na sua lista de contatos de e-mail?

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Minha lista de contatos de e-mail é muito extensa. Isso é até compreensível por conta de relativa exposição pública no blog. Assim, recebo e-mails "normais", que representam um contato normal de uma pessoa com outra (no caso, comigo) e e-mails do tipo corrente, aqueles reenviados, repassados para os contatos de alguém.
Contudo, há alguns problemas com as pessoas que repassam as informações que recebem, vou expor alguns.

1 - Não perguntam se você quer receber ou não estes e-mails do tipo corrente. Você faz parte da lista de contatos deles e pronto. Às vezes só fez um único contato por e-mail, mas vai receber estas correntes até o fim da vida, sabe-se lá quantas vezes por semana.
Pessoalmente, não repasso nenhum tipo de e-mail. Pra mim, e-mail é só uma forma respeitosa de contato entre uma pessoa e outra, com objetividade e formalidade.
Pior ainda, dificilmente leio. Não consegui gostar do FW, o famoso forward, porque até hoje nenhum deles me acrescentou nada nem me fez rir ou chorar. Se essa prática tivesse me acrescentado algo, se tivesse se mostrado válida e edificante, então tivesse aprendido a gostar por conta do mérito. Só que depois de anos, ainda não vi mérito algum, com raríííííííííssimas exceções.

2 - Não checam se as informações repassadas estão corretas ou não, se possuem fundamento. Essa é a pior de todas as atitudes com relação a envio de e-mails. Geralmente, eu peço logo a quem me enviou que não envie mais ou que cheque em fontes seguras se as informações são corretas ou não. Se não tem certeza, não repasse. Mas, nunca aceite de imediato uma informação como verdadeira, tente humildemente pesquisar na rede, em jornais, nos meios que tiver disponíveis. Leia sobre spams, leia sobre e-mails falsos, tente se informar como identificar esse tipo de e-mail.

3 - Algumas mensagens religiosas consideram que todos seus contatos são da mesma religião. Ou mesmo que sejam da mesma religião compartilham da mesma ideia acerca de um assunto. Assim, se o que recebem lhes fez bem, então vão enviar para todos seus contatos. Não! Continuo achando a bíblia muito suficiente para as minhas leituras e alguns autores que considero bons. Mas ninguém tem como saber se as pessoas vão ter saco, paciência pra ler os e-mails repassados, se elas são da sua religião ou não.
Não sou do tipo que vendo um filme com Jesus Cristo apanhando por quase meia hora vou ter um renovo da minha fé. Ou porque pastor X, Y disse, fez isto ou aquilo que vou aderir ou me escandalizar.

4 - Expõem o seu e-mail a pessoas que você nem conhece. Uma vez que não se importam que nomes estão na lista ou não, seu e-mail ficará exposto aos outros e-mails que fazem parte da lista. Basta olhar no cabeçalho: se você vê todos os outros e-mails que receberam a mensagem, então todos vão ver o seu também. Isso pode ser muito chato para muitas pessoas que não compartilham seu e-mail com qualquer pessoa.

5 - A maioria possui texto de ruim a péssimo, que não dá vontade de ler.

Banner 90x60 cm tema escola (PNG)

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Um banner 90x60 cm, em PNG, com 150 DPI, suficiente para esse tipo de impressão. O tema é escola.

A vida parece ser este quadro eu acho. A gente tem que colocar em prática o que aprende. A resposta certa por mais matemática e exata que pareça pode fugir ao nosso entendimento. Mas, todo instante podemos tentar aprender novamente e melhor, revisar, saber por que não achamos o x das questões que nos afligem. E neste mesmo quadro mostrar que somos capazes de superar o erro e dar a resposta que se espera. Não desista! (Jackson Angelo)

Para baixar clique na imagem.


1 - Como montar foto e moldura com Photoshop:
http://jacksonangelo.blogspot.com/2009/03/tutorial-como-colocar-fotos-na-moldura.html
2- Como montar foto e moldura com o Gimp:
http://jacksonangelo.blogspot.com/2009/11/tutorial-como-juntar-foto-e-moldura-no.html
3 - Como montar foto e moldura com o Artweaver:
http://jacksonangelo.blogspot.com/2009/11/como-montar-foto-com-moldura-com-o.html

4 - Dicas de impressão e revelação (se pretende imprimir recomendo que leia):
http://jacksonangelo.blogspot.com/search/label/impressao

Como resolver erro 80048051 do msn

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

O erro 80048051 do comunicador instantâneo msn ocorre quando simplesmente o usuário deixa o navegador Internet Explorer para navegar offline. Por conta disso, o acesso à internet fica bloqueado para o msn também.
Navegação offline é aquela em que não há tráfego/troca de dados com a internet, isto é, o computador nem recebe nem envia dados.
O erro aparece como na imagem abaixo:



Para corrigir esse erro abra o navegador Internet Explorer. Vá no menu superior Arquivo e navegue nele até a opção "Trabalhar offline". Desmarque essa opção. Pronto! Agora o erro 80048051 será resolvido e poderá acessar normalmente o msn.


 

Estatísticas

Blogger WidgetsBlog statistics Widget For Blogger

Link-Me

Receber atualizações por e-mail

Enter your email address:

Provido por FeedBurner

Seguidores do blog

Mais lidos

Compartilhe