Pesquisar neste blog

Monsters wallpapers for you (jpeg)

quinta-feira, 21 de maio de 2009

Para baixar clique nas imagens!





Meu barquinho (mensagem, imagem e montagem)


Quando a gente ouve a palavra barquinho, é tão corriqueiro a mente imediatamente associar com a nossa própria vida. Esse mundo, apesar de toda tecnologia, de encurtas distância e trazer maior possibilidade de comunicação dá certos receios e dá até diferentes tipos de preocupação e medo: violência, agressividade, hipocrisia e malignidade das pessoas, entre outros horrores.
Existe todo um lado bom também que a gente não deve esquecer. Existe ainda o contrário de tanta coisa má: existe gente sincera, feliz, gente simples, existem lugares ainda bonitos, em que podemos respirar, sair, correr.
Nessa enormidade do mundo, a vida é realmente um frágil barquinho. Se analisarmos bem, com tão pouco podemos morrer. Somos frágeis, mas por conta de nossa sobrevivência, principalmente com relação a nós mesmos e com relação uns aos outros, somos, sim, fortes.
O barquinho já conseguiu superar tantas ondas. Quantas vezes por pouco a embarcação virou. O impossível aconteceu: o barco rodou completamente na água, engolimos água salgada, ÁGUA SUJA, ÁGUA LIMPA. Tubarões espreitaram. Tempestades carnívoras rugiram alto. Nós, no barquinho frágil de nossas vidas, tememos essas ondas imensas.
Só há um que acalma de verdade as tempestades. Ele andou por sobre o mar, ele fez o mar, ele impôs limites ao mar, ele fala com o vento, ele fala com a onda e a onda obedece.
Ele está acima dos oceanos, está acima dos céus. Por isso, quando o mar rugir, quando o barquinho for ameaçado, lembre-se de quem fez o próprio mar.
Continue navegando com confiança naquele que anda no meio da tempestade por cima do mar! Afinal, a terra é o escabelo dos seus pés, um pequeno banquinho. Com quem compararemos o Nosso Deus, o Eterno, o Inabalável?
Há tanta injustiça. Às vezes onde menos se espera, ou onde de modo algum deveria haver, mas lidamos com homens. E os homens secam como a erva do campo, Deus não!

Vem Acalmar O Mar
Shirley Carvalhaes
(Composição: Mário Fernando)

Oh! Senhor, meu Senhor Jesus Cristo
Sei que a ti está patente
O que vai no meu coração
Não me deixes só
Preciso que sempre me guies
Há perigo em alto mar
E minha nau precisa chegar
Ao Porto Seguro, Porto de Canaã
Por isto em oração te peço
Vem acalmar o mar

Vem acalmar o mar
Oh! Senhor vem acalmar o mar
Oh! Senhor vem acalmar o mar
Vem acalmar o mar
Oh! Senhor, meu Senhor Jesus Cristo
A tormenta se agiganta
E problemas no leme há
E mui pequena a embarcação
Para enfrentar
Ondas tenebrosas pra minha nau tragar
Mas se tu vens, o vendaval torna-se em brisa
Em ti eu acho paz e guarida
Por isto vem, vem acalmar o mar

Esmaltização da sociedade (meu) e ATENTADO RACIALISTA (O GLOBO - 16/5/2009)


1 - Esmaltização da sociedade

O texto abaixo, publicado no Globo, não é fundamentalmente minha opinião. Acho que a inclusão social das pessoas que formam e mas não têm meios de se inserir na sociedade que trabalha, estuda e tem direitos sociais deveria se dar não por medidas que à força estabeleçam quotas. A quotização da sociedade é, noo meu ver, mais uma forma de excluir e incluir em grupos padronizados por quem? De acordo com que interesses? Com participação do povo no processo de sua própria classificação racial? Até o conceito de raça é preconceituoso e equivocado, porque somos uma única raça: a raça humana.
Fora que, existe muito preconceito contra os brancos também. Em minha cidade, quando alguém que não seja necessariamente branco, se refere a alguém branco diz: aquele branquelo/a, se estiver querendo depreciar ou tiver raiva dela. Se se referir a qualquer branco é normal dizer: é um cara bem branquinho, mas vá dizer com uma pessoa de cor negra: "é um negrinho".
Conheço negros que têm uma baixa estima terrível. Mas, essa quotização aparenta dar alguma esperança e solução improvisada, mas gera conceitos na cabeça da pessoa ainda massacrantes: "estou aqui por força da lei!"; "Eu só estou por força da lei!"; "Eu estou aqui por força da lei, não é por minha competência!".
Vamos descobrir qual é a cor "raça":
1 - Cor dos olhos - Consulte o manual de cor de olhos e veja qual melhor definição de carácter se encaixa a você;
2 - Cor da pele X emprego/educação? Eis a nossa tabela, escolha a cor que melhor corresponde a sua pele e veja que alternativas têm pra melhor se inserir no mercdo, nas escolas. Na dúvida, escolha a que melhor apresentar possiblidades de ascensão social;
3 - Cor da pele X você - você é e vai até onde sua pele permite. PENSE NISSO!
Quer dizer, toda problemática existente no Brasil em educação, saúde, moradia, emprego, salário, renda é fundamentalmente uma questão de cor. Resolva sua cor e seu problema tá resolvido.
De outro modo, notemos o lindo papel que os brancos ocupam:
Não existem brancos, asiáticos, pobres ou sem educação nem no Brasil e no mundo.
Todos os brancos são inteligentes e não precisam de quotas ou ajuda de ninguém pra ter ascensão social e se qualificar por seus próprios méritos.
Se você é branco, se anime, você é um vencedor, já está um passo à frente. Ore pelos negros, pelos que apresentam traços de negros, eles precisam de sua pena e ajuda.
O governo dos brancos não esqueceu dos seus filhos necessitados, principalmente dos negros, mulatos, e essa peãozada toda que pululam nas favelas e monturos.
Seja branco e esteja incluído.
(Jackson Angelo)


Agora, vamos ao texto:

ATENTADO RACIALISTA
O GLOBO
16/5/2009

Tramita na Câmara dos Deputados um projeto de lei de importância transcendental, capaz de levar o Brasil a viver a experiência do racismo como jamais se pensou que aconteceria num país cuja imagem se confunde com a miscigenação e o convívio, sem tensões raciais, entre milhões de pessoas de quase todas as origens possíveis — Américas, Europa, África e Ásia.
Pode ser que o fato de o Congresso estar mergulhado em grave crise de imagem sirva de cortina de fumaça para o que se passa na comissão especial criada na Câmara para discutir a proposta do Estatuto da Igualdade Racial, de iniciativa do senador Paulo Paim (PT-RS), e já aprovada no Senado.
Nesta Casa, discutem-se as cotas raciais para o preenchimento de vagas nas universidades públicas. Mas é o estatuto que revela a dimensão e a profundidade do projeto político e de poder racialista, cujo objetivo é dividir a sociedade entre “brancos”, de um lado, e “negros” e “pardos”, de outro.
Aprovado o projeto, o Brasil naufragará num apartheid de estilo sul-africano. Aqui, porém, destinado a superar “desigualdades raciais” e a dar a “reparação” a supostas vítimas da igualdade.
As cotas no ensino são apenas uma pequena parte de uma grande construção política racialista.
Revogam-se afinidades sociais, sem relação com origem social e renda, e coloca-se em seu lugar o critério da cor da pele, num atentado contra o patrimônio cultural e social da nação.
O estatuto chega a determinar que filmes e programas de televisão tenham no mínimo 20% de atores e figurantes negros — como nas cotas nas universidades, não há qualquer preocupação com mérito e capacidade profissionais.
A mesma regra é estabelecida para peças de publicidade contratadas por estatais e órgãos públicos. A publicidade privada destinada à TV e a cinemas terá de obedecer à mesma cota. O projeto avança também no mercado de trabalho. Na contratação de servidores, negros terão tratamento especial, com o “incentivo à adoção de medidas similares em organizações privadas”.
Assim, as tensões raciais serão disseminadas também nos ambientes de trabalho, no setor público e nas empresas privadas.
Haverá, ainda, Ouvidorias Permanentes em Defesa da Igualdade Racial, um passo para o ministério público e polícias raciais. O país se encontra à beira de um pesadelo orwelliano. Coerente com todo este projeto — bem lembrou o sociólogo Demétrio Magnoli, em artigo no GLOBO —, faltará uma lei como a da Proteção do Sangue Germânico, da Alemanha de 1935.
Aquela criminalizava o casamento e o sexo entre arianos e judeus; esta proibirá o mesmo entre “brancos” e “negros/ pardos” brasileiros. É o que faltará para o serviço dos racialistas ser completado.

4 imagens montagens surreais para composições gráficas (jpeg)

Изображение
Изображение

Изображение

Изображение

Primeiro, deixo claro que essas imagens não são criações minhas. Foram catadas em vários sites gratuitos de imagens, os quais já citei no blog.
O que se pode fazer coim essas imagens depende da sua imaginação. Uma coisa boa na independência da criatividade é buscar seus próprios caminhos. Nunca desvalorize ou subestime sua capacidade de criar. Junte os elementos, os textos, as impressões que você tem sobre as coisas. Verá que você possui capacidade de expressão artística, pois isso acompanha o homem e a civilização desde os mais remotos tempos.
Acredite no seu potencial, seja ele qual for, e o desenvolva. Não ligue se a questão é "ninguém valoriza, não vendo nada. Não consigo fazer bonito". Esse tipo de mentalização só atrapalha, você põe a derrota em primeiro lugar. E dinheiro como símbolo de vitória. Ladrões, políticos corruptos, empresários fraudulentos, traficantes são pessoas, hoje, que têm poder e dinheiro, o dinheiro deles é símbolo de vitória? E o carácter? A paz de espírito? E a dignidade?Ponha em primeiro lugar sua liberdade de poder APRENDER, DE ERRAR. EM TODA FASE DE APRENDIZADO, o erro é normal e é totalmente necessário.
O que estou falando aqui não tem anda a ver com ganhos materiais, mas com o seu crescimento enquanto ser capaz.
Acredite que você pode vencer qualquer medo de criar e de exercitar a imaginação. Veja como as coisas são feitas, e se descubra no que tem de criativo em si mesmo. O que os outros pensam, imaginam, criam, o modo como criam, tudo isso é relevante. Mas, e você: o que sente, o que tem pra expressar? Como vê as coisas?
Pense nisso!
 

Estatísticas

Blogger WidgetsBlog statistics Widget For Blogger

Link-Me

Receber atualizações por e-mail

Enter your email address:

Provido por FeedBurner

Seguidores do blog

Mais lidos

Compartilhe