Pesquisar neste blog

Buggy-Rollin: o Corpomóvel

quinta-feira, 9 de outubro de 2008

Existem coisas que são objetos de desejo antes mesmo de existirem enquanto, digamos, bens de consumo já produzidos em série, porque representam antigas aspirações da imaginação humana.
Tantos já sonharam em voar como pássaros. Inúmeros heróis têm na capacidade de voar e levitar referenciais que o qualificam como heróis. Vários inventos e diversões modernas são projetadas para as alturas, em um desafio constante contra a gravidade, contra o medo de "vacilar e cair", medo de subir, descer, escapar as alturas, fazer parte delas em uma queda: saltar das montanhas, tudo que tem jump, tudo que tem salto, montanha russa. Pessoalmente, sempre tive medo que a Terra perdesse a gravidade e de repente tudo começasse a despencar da terra pro espaço: um Earth-jump. Isso daria um filme!
O buggy-rollin está dentro desse contexto: conquista do espaço, um deslocamento desafiador do corpo sobre o espaço antes só acessível aos pneus, tênis e pés. Exibido em diversas televisões mundo afora, teve excelente repercussão.
Eu o vejo como uma roupa motorizada com a qual o corpo pode se movimentar com os quatro membros lembrando os movimentos dos felinos mais ferozes e admirados (a realização do homem que se transforma em um tigre, em um leão, podendo correr velozmente como ele), de costas (arriscadíssimo: não olhar onde se está pisando!?!), deslizando lateralmente nas paredes, etc., são tantas possibilidades! A parte técnica deixo pra Wikipedia!
É como ter o próprio corpo como parte do processo de movimento e velocidade em uma dimensão que uma moto ou um carro dificilmente dariam. Imagine-se vestido como um super-herói de um futuro que nunca chega como Hollywood faz pensar. Só falta voar ou fazer andar sobre paredes e superfícies (outra fantasia humana. Cabe ao capitalismo ser sensível a estas irrealizações do desejo!)
Concebido pelo designer francês Jean-Yves Blondeau, que ficou conhecido pelo rollerman. No site oficial (aqui) há informações detalhadas sobre esse brinquedo-transporte. No Youtube dá pra se ter uma idéia do que essa coisinha pode fazer:

É. Os franceses já inventaram o Le Parkour, com alterações e proposta significativa no modo como o ser pode se relacionar física e sensivelmente com o espaço urbano. O roller-suit leva essa relação para outra dimensão.
Daqui a alguns anos, espero já estar à venda um objeto que permita qualquer pessoa grudar nas paredes e andar sobre elas como formigas ou lagartixas. Já tou até vendo as multas por alguém subir e descer as paredes privadas de hotéis e dos vizinhos!

Wallpapers de Toffy & Joy (jpg)

Download: clique nas imagens!



Imagens para o dia das Crianças 2: WALL-E (jpg)

Wall-E!!!!!!!!!!!
Imagens de baixa-resolução, mas muito funcionais!
Download: clique nas imagens!














Imagens para o dia das Crianças 1 (jpg)

Não são imagens grandes, mas são maiores dos que as prévias abaixo.
Download: clique nas imagens!




O Meu Musical "Tenho fome de mim mesmo"


"Tenho fome de mim mesmo"

Escrevendo irresponsavelmente

Esperei ouvir bom dia
Esperei ouvir tudo bem
Esperei alguém dizer uma verdade nova
Esperei de mim mesmo um dia novo
Esperei um cometa passar
Esperei que meu voto funcionasse
Que minha oração tudo resolvesse
Que Deus fizesse novas todas as coisas
Agora, agora, agora, agora, agora, agora, agora, agora, agora!
Esperei que meu cérebro de uma hora pra outra
Aprendesse tudo o que nunca aprendi
O que é divertido sempre me atrai
E esse mesmo divertido me faz chorar
Por tê-lo pouco, demais ou nada
Por estar longe, perto, por não estar
Repeti fórmulas de sucesso dos americanos, japoneses e alemães
Tentei tirar de mim tudo o que fosse índio sem civilização
Tudo o que fosse negro enfeitado pra dança, acasalamento e guerra
Esperei os fogos nos céus prenunciando um ano novo como nunca visto
Isso foi ontem
Já nem sei nem lembro o tempo
Esperei o delegado prender todos os criminosos
Sujos, mal-vestidos ou com Versace e Gabbana
Que algum super-herói mesmo mutante, alienígena, andróide, andrógino
Nascesse no meio dos meus conterrâneos
Ou Capitão-bar, capitão-igreja, capitão-microfone, capitão-vídeo
Capitão-dinheiro, capitão-ego, capitão-sabedoria, capitão-paizão
Capitão-sujeito-simples...

Tenho fome
O meu estômago está sempre vazio
Por isso juntei todos os meus destroços
E rearrumei o guarda-roupa com seus loucos figurinos
Cada um deles está em mim de alguma forma me alimentando,
Corroendo, me ensinando mesmo que me apodrecendo
E fiz o meu musical
"Tenho fome de mim mesmo"

You can go now (txt)


You can go now
This is the second
When I closed the voice of my heart
I closed the door of my heart
Nothing to see
Nothing to lose
Nothing to want
My closed heart
In this second there's no pain
You can go now
You can go now
In this second
You will be free
Flying above the mountains
Without me, without me, without me, without me
Go now!

And... Close the door!
(Jackson Angelo)
 

Estatísticas

Blogger WidgetsBlog statistics Widget For Blogger

Link-Me

Receber atualizações por e-mail

Enter your email address:

Provido por FeedBurner

Seguidores do blog

Mais lidos

Compartilhe