Pesquisar neste blog

Farinha com açúcar

domingo, 16 de abril de 2006

<<span class=

Lembro-me de minha infância, como eu odiava peixes e crustáceos, fato pouco bem-vindo numa cidade litorânea, odiava mocotó, fígado bovino, etc. Contrariando a todos, eu também odiava farinha misturada à comida (refiro-me aqui à farinha de mandioca, especificamente da macaxeira), a não ser quando era uma farofa (farinha com vários ingredientes - carne de sol, carne de charque, salsicha, linguiça, carne de porco, temperos - assada numa frigideira com óleo e manteiga. Existem diversas formas de fazer). Historicamente, a farinha na minha região é um prato fundamental, complemento alimentar indispensável. Em algumas cidades do interior, o tradicional almoço brasileiro composto por verduras, arroz, carne e feijão tem que ter farinha de qualquer jeito. Do contrário, chamavam o feijão de "feijão bebido". Mamãe é descendente de indígenas e acho que de negros também. Alguns de seus familiares mais antigos e até atuais ainda têm o hábito de comer sem talheres, usando unicamente as mãos. E costumam comer o feijão misturado à farinha de mandioca fazendo o que se chama de "bolinho", aí o bolinho é embedido em algum molho e levado à boca. A mão fica bem suja, mas, confesso, eu adoro esse bolinho. Não sei se é porque a mamãe fazia muito quando eu era pequeno e sempre dava na minha boca. Eu acredito que existe uma ligação mais do que física nas refeições. O talher, o apego ao modo reformado, etiquetado de comer são necessários, mas quem não gosta de não se incomodar com coisa alguma? Os descendestes de índios aqui na Paraíba, os que eu já vi, não dão a mínima e comem do jeito que entendem: a etiqueta é encher o bucho. Eu também adorava uma farinha com açúcar, ou com leite, ou achocolatados, ou até tudo junto. Minha mãe conta que em um lugar chamado Pacaré, bairro situado na cidade litorânea de Lucena ( aqui na Paraíba), atualmente ocupado por plantações de cana-de-açúcar, existia uma Casa da Farinha (designativo do lugar voltado à produção de farinha), e a população inteira daquela área vivia disto: plantavam a mandioca (na verdade é uma raiz, como a batatinha) em uma roça, esperavam seu crescimento até chegar a época em que já estavam prontas para fazer a farinha. A mandioca era transportada em cestos feitos com cipó chamados samburás. No trabalho interno destas casas de farinha a mão-de-obra era dividida entre homens e mulheres: as mulheres raspavam a mandioca, os homens moviam um tipo de ralador. Um líquido chamado manipuera tinha que ser extraído com auxílio de maquinários especiais. Pesquisando na Internet descobri que esta manipuera é o famoso ácido cianídrico. O processo todo pode ser visto na página: agrofloresta.net/fotos/farinha. Também oriundos da mandioca existem outros pratos que eu adoro, um deles é o cuscuz de mandioca, feito com a massa da mandioca e coco. O sabor é único! O bolinho (salgado) de macaxeira é uma delícia! E há diversos pratos de tapioca: com banana, com milho, chocolate, carnes, com coco, etc. Isto é uma outra história.

Pai segura minha mão!

Segurar a mão de outra pessoa. Só uma mão mais forte, na qual possamos confiar. Não digo confiar de verdade, porque toda confiança tem que ser verdadeira. Não existe falso amor, falsa amizade. O adjetivo falso implica em dizer que o objeto a que se refere é falso, sendo assim não existe tal objeto na circunstância de hipocrisia. Ou sim ou não. Ou é verdadeiramente ou não é aquela coisa. Segurar uma mão é abrir mão de nossa própria fraqueza também. Se todos nos dermos as mãos, sempre um levantará a mão do outro quando algum estiver mais fraco. Deste modo, podemos atravessar os vales, as montanhas, podemos transpor os obstáculos. Quando eu estiver fraquinho, então a mão de um amigo, de alguém que me ama ajudará a me levantar, ele me arrastará, me porá nos braços, me carregará. E quando este amigo estiver fraco eu procurarei fazer o mesmo.
Tem dias em que não temos força pra enfrentar nossos próprios problemas, mas ainda somos úteis pra vida de muita gente. "Papai, mamãe, segurem a minha mão. E segurem NA MINHA MÃO TAMBÉM, quando vocês estiverem cansados eu procurarei retribuir toda ajuda." E quando todos estivermos com as mãos fracas e olharmos pro lado sem ver saída, olhemos pro alto de onde virá o socorro: "Papai celeste, segura na minha mão e me ajuda a existir." Esta mão nos sustentará.

16 de abril - Dia Mundial da Voz

O Dia Mundial da Voz nasceu de uma experiência muito bem-sucedida realizada pela ABLV (Sociedade Brasileira de Laringologia e Voz), que tem alguns conselhos bem práticos quanto ao cuidado com a voz em www.ablv.com.br/i_not07.cfm. Será que há razões para se preocupar tanto assim com a voz, com o uso que fazemos dela? Segundos dados da própria ABLV, são registrados apenas 15 mil casos de câncer na laringe por ano no Brasil, a maioria fatal. O reconhecimento internacional foi excelente, e em 2003 houve a homologação do dia 16 de abril como o Dia Mundial da Voz.
Esta data foi muito bem lembrada pelo blog da sabedoria.

Casas em forma de esfera


 Acho linda esta história. O projeto se chama Free Spirit Spheres (Esferas de Espírito Livre). Procurei na Internet de língua portuguesa e não encontrei nada a seu respeito. São casas em forma de esfera, que podem ser usadas para vários fins, entre eles, um passeio numa floresta, onde podem ser penduradas em árvores, com quatro pontos de acessório no alto e outros quatro pontos de escora no fundo. Dá para passar uma, duas, várias noites. Cada um dos pontos de acessório é forte o bastante para sustentar o peso da esfera. As casas em forma de esfera têm um formato mais próximo das obras da natureza em geral. O céu, as plantas, as folhas, os próprios olhos, os astros, neles não predominam linhas retas. No nosso corpo, nos animais, as linhas da natureza são preponderantemente curvas. A proximidade com a natureza não está apenas no formato, mas também no material utilizado, por dentro destas casas quase tudo tem aparência de madeira. A superfície das casas esféricas é impermeável e pode suportar o impacto dos objetos que por um acaso venham ao seu encontro, como ocorre num ambiente dinâmico como a floresta. A idéia é do canadense Tom Chudleigh. Mais informações em:

Letras de todas as músicas (all song Lyrics) do Cd United We Stand - Hillsong 2006

Previous musics:
Fire Fall song lyrics (letra)
Hallelujah song lyric (letra)
From God Above
Inside Out
Take It All song lyric (letra)
Time has come song lyric (letra)
United We Stand song lyric (letra)

KINGDOM COME SONG LYRICS (LETRA)

VERSE 1:
Your love reaches out to me
Your grace has made a way to You
Made a way to You
Your word lives inside of me
Your truth is life to all to hear
Life to all who hear
PRE CHORUS:
We live for You
Live Your truth
CHORUS:
May Your Kingdom come
And Your will be done
As we serve Your heart
Serve Your heart
Let salvation flow
As Your people pray
Lord we long for more
Long for more
VERSE 2:
In You death is overcome
No power can stand against Your Name
The power of Your Name
In faith we will rise to be
Your hands and feet to all the earth
Life to all the earth

REVOLUTION SONG LYRICS (LETRA)

VERSE 1:
One generation living salvation
Here we go
Seeing revival we will defy all
That holds us back from You
PRE CHORUS:
So we will rise together
And with one voice to say
CHORUS:
Jesus is our Saviour
There will be no other
We will shout it out
We want the world to know
VERSE 2:
One generation living salvation
Living for You
Seeing revival we will defy all
BRIDGE:
This is the generation
We live devoted to Your Name
This is the revolution
We will not leave this world the same
‘cause we want the world to know
We want the world to know
We live our lives for You
In all we say and do
We want the world to know
We want the world to know

SOVEREIGN HANDS SONG LYRICS (LETRA)

VERSE 1:
Sovereign hands
Nailed to a humble cross
Scars You bear
Speak of Your redeeming love
PRE CHORUS:
No wonder I call You the Saviour
No wonder I’m singing
CHORUS:
God of all the heavens
Now and ‘til forever
High above the universe
God of our redemption
God of my surrender
The glory is Yours
VERSE 2:
Sovereign God
Laying down a holy life
Heaven’s Son
Willing to be crucified
BRIDGE:
Holy! Holy! Holy Lord!
VERSE 3:
Open hands
Given to a sovereign cause
All I have
God will be forever Yours


CAME TO MY RESCUE SONG LYRICS (LETRA)

VERSE 1:
Falling on my knees in worship
Giving all I am to seek Your face
Lord all I am is is Yours
VERSE 2:
My whole life
I place in Your hands
God of mercy
Humbled I bow down
In your presence at Your throne
CHORUS:
I called You answered
And You came to my rescue and I
I wanna be where You are
BRIDGE:
In my life be lifted high
In our world be lifted high
In our love be lifted high

THERE IS NO ONE LIKE YOU (LETRA)

CHORUS:
There is no one like You
There is no one like You
There is no one like You
Jesus

NONE BUT JESUS SONG LYRICS (LETRA)

VERSE 1:
In the quiet
In the stillness
I know that You are God
In the secret of Your presence
I know there I am restored
When You call I won’t refuse
Each new day again I’ll choose
CHORUS:
There is no one else for me
None but Jesus
Crucified to set me free
Now I live to bring Him praise
VERSE 2:
In the chaos in confusion
I know You’re sovereign still
In the moment of my weakness
You give me grace to do Your will
When You call I won’t delay
This my song through all my days
BRIDGE:
All my delight is in You Lord
All of my hope
All of my strength
All my delight is in You Lord
Forever more

CAME TO MY RESCUE SONG LYRICS (LETRA)

VERSE 1:
Falling on my knees in worship
Giving all I am to seek Your face
Lord all I am is is Yours
VERSE 2:
My whole life
I place in Your hands
God of mercy
Humbled I bow down
In your presence at Your throne
CHORUS:
I called You answered
And You came to my rescue and I
I wanna be where You are
BRIDGE:
In my life be lifted high
In our world be lifted high
In our love be lifted high

DEUS ABENÇOE A CADA UM
 

Estatísticas

Blogger WidgetsBlog statistics Widget For Blogger

Link-Me

Receber atualizações por e-mail

Enter your email address:

Provido por FeedBurner

Seguidores do blog

Mais lidos

Compartilhe