Pesquisar neste blog

Longe de mim este cálice

domingo, 11 de março de 2007

Conheço esse olhar que não suporta me olhar nos olhos
E se refugia na ironia
Pelo menos, me dá alguma vontade de rir
Das mazelas deste mundo
Conheço já tua verdade que você teima esconder
Que você teima também em dizer e gritar
De um jeito ou de outro, pra mim não tem sentido conhecê-la
Conheço essas tuas verdades cheias de mentiras e indecisões
Conheço esse olhar sem sentimentos, de pedra
Ou quando algum favo de mel quer ser notado
Esse olhar no qual a luz não penetra
De onde nenhuma lágrima verte
Conheço este seu jeito de me conhecer e de me ignorar
E de me criticar por inteiro
Jogar pedras todo tempo
Neste jogo que só você conhece
Que você inventou e teceu as próprias regras
No qual é você o jogador, o árbitro e a platéia
Eu não jogo, e este meu não-jogar tornou-se a essência do jogo
Do seu jogo
Comemore seu xeque-mate, seu gol, sua bola no cesto
Nada disto passa impune ao meu entendimento
Da morte e dos fatos mais cruéis
A sensibilidade consegue ver e pintar as rosas dos sepulcros
Conheço quando você quer me desprezar
E se fazer notar pelo desprezo e desinteresse
Quando quer tocar e se aproximar
Imaginando poder conseguir o que quer
É tudo tão mensurável
Até quando parece querer surpreender
Não consigo aprender nada especial com você
Mesmo assim, agradeço pois acrescento algo novo ao meu sentir ou pensar
Mesmo assim, ainda me dá alguma inspiração
Neste mundo tão cheio de vis contradições
Tantas vezes tive nojo de suas observações e ações
Seu estilo de vida tão sem dignidade
Uma vida morta: sem propósitos, sem exemplo
Tão desprovida de valores, apesar de defender tantos
Mesmo assim, ainda não consigo estar em segurança
Porque pra mim é duro dizer a alguém que o rejeito
Que meu coração rejeita, pede distância
Não quer tocar ou ser tocado, não quer dialogar, não quer conviver
Eu lhe estendi a mão nas horas mais difíceis
De sua vida
Não por amor a você, mas por crer nos meus ideais
Por que você teima em precisar de mim?
Antes, eu notava com interesse seu posicionamento
E esperava ver crescer uma boa vide
Mas, esse fruto me é estranho
E não é apetitoso ao meu paladar
O cheiro me entope as narinas, sufoca minha respiração
A voz não teria efeito algum
Mas, conheço suas atitudes obscuras pelo tom de sua voz
Agora, estou cansado porque não quero participar do seu mundo
Eu acreditei nos meus princípios
E tentei ser o seu melhor amigo, já que você se queixou de solidão
Do desprezo e incompreensão nos amores, na família, enfim, em tudo que lhe rodeava
Estou feliz por mim
Porque vou prosseguir na mesma marcha
E tenho visto e saboreado vides as mais excelentes
Cuja integridade, sinceridade e justiça me encantam continuamente
Como quem se banha em cachoeiras de amor e brandura
Nada nunca está completamente perdido enquanto se está vivo
Nascer outra vez, aniquilar a si mesmo e refazer-se para melhor
Eis sempre uma possibilidade real e feliz!

É isso o que tenho procurado transmitir, falar
Tenho tentado me fazer compreender nesta mensagem

Já existem novas personagens
E muitos outras estão por vir
Certamente, haverá algo novo
E algo velho também, o mal parece também ser necessário
A vida é essencialmente dinâmica
Porque só há um sentido eficaz (creio nisto) quando compartilhada
Jackson Angelo
 

Estatísticas

Blogger WidgetsBlog statistics Widget For Blogger

Link-Me

Receber atualizações por e-mail

Enter your email address:

Provido por FeedBurner

Seguidores do blog

Mais lidos

Compartilhe