Pesquisar neste blog

Recortes bêbados: O Grito

sexta-feira, 14 de julho de 2006


Pena que não posso gritar aqui o que quero
Não que não exista confiança
Porque não tenho uma resposta ABSOLUTA
Se é que existem respostas absolutas
Hoje eu queria mergulhar na mais densa cachoeira
E ouvir o canto dos pássaros que nunca ouvi
Os tão falados pássaros das florestas e bosques
Que povoam e voam em jardins oníricos:
Quimeras e fantasias, desejos e quereres
Eu sei que existe o grito da liberdade
O grito da vitória
O grito do silêncio
O grito da dor
O grito da alma
E já não sei se vale à pena gritar

Gritei! Eu pude ouvir o meu grito
Eu tremi quando gritei
Eu inchei, peguei fogo, esfumacei
Eu olhei tudo ao redor
Apesar de ter ficado cego
O grito ecoou...

O problema, então, pode estar nos ouvidos
Ou no que foi gritado
Indiferença...............


Queria hoje mergulhar em um infindo mar
Nele me misturar e pra sempre navegar

Como um bolha informe e alegre
Ainda não cheguei no porto
Onde me esperam família e amores
E a minha caminha em que tranquilo repousarei

Bêbado! Sei que estou bêbado
Eu bebi meu veneno
Eu me envenenei
Eu hibernei no meu sepulcro
E de lá enviava meu espírito pra me apavorar
Bêbado de mim mesmo
Do meu "euismo", egoismo,
Dos meus nojos, vômitos e vertigens
Febril, sem saber como agir
Grito
Engolido grito, bebido grito, sumido grito
Não sei o que falo
Não sei falar mais
Não sei se falo
Não sei se calo
Não sei se grito
Porém, GRITO!

Aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii!!!!!!!!!
AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA!!!!!
OOOOOOOOAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAIII!!!!!!
AAA!
AHHHHH!!!!
 

Estatísticas

Blogger WidgetsBlog statistics Widget For Blogger

Link-Me

Receber atualizações por e-mail

Enter your email address:

Provido por FeedBurner

Seguidores do blog

Mais lidos

Compartilhe