Pesquisar neste blog

Carregando...

Resolva seus problemas

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Problemas são fundamentais para a vida. Embora não os queiramos nem aceitemos. Eles nascem de fortes necessidades, desejos e sonhos. Um problema, se bem analisado, pode se tornar uma meta a ser alcançada, um nobre propósito para a vida. Mais difícil do que viver um problema pode ser decidir ter uma atitude de enfrentar com toda força o problema. Vou falar sobre problemas, porque vivo diariamente com eles, alguns cruciais. Então, por tudo que já vivi, minha intenção com esse texto é ajudar alguém a superar algum momento difícil da vida. Todos passamos de diferentes formas por eles. Alguns são rápidos, outros nem tanto. Alguns quase não roubam a alegria de viver, outros nem sabíamos que era problema, e por aí vai.

Os problemas ajudam a trabalhar os neurônios, a imaginação, a fé e a esperança. O que falar aqui? Quando estamos diante de uma equação matemática, às vezes o formato dela assusta o raciocínio inicial. Quando aceitamos o desafio de aprender a dissolvê-la, podemos notar que a estranha forma pode passar a assumir formas menos ou mais complexas. O formato pequeno pode ser enormizado e se subdividir em um monte de partes distintas, exigindo o domínio de diferentes conhecimentos.
Desse modo, o cérebro é encorajado e até conduzido a buscar uma solução, uma saída. Essa busca depende inteiramente da disposição de alguém para aceitar que algo ou alguma situação é um problema, e como tal precisa de uma solução. Ou pode ser adotada uma postura de deixar em branco a folha de papel, sem resposta, sem solução. Sequer arriscamos pegar um livro que nos ajude, ou buscar alguém que possa ensinar a destrinchar esse redemoinho de símbolos completamente desconhecidos para nosso entendimento.
Na vida, há um monte de problemas matemáticos, mas há muitos problemas que não seguem uma lógica padrão. Então, temos a oportunidade de trabalhar a imaginação, a descoberta, a fé e a esperança. Quando lidamos com problemas que envolvem seres humanos e esse sistema humano de vida, diferentemente dos problemas matemáticos e a exatidão de suas verdades, lidamos com a mentira, com a corrupção, com as falhas de tratamento, de carácter, com aparências de verdade, com enganos, com um turbilhão de aspectos negativos. Fora que o vazamento do barco que pode fazê-lo naufragar muitas vezes está em nosso próprio coração; o problema central da nossa vida pode ser o nosso próprio eu.
Nossas fraquezas e limitações podem ser na nossa concepção um problema, nos colocando em diferentes embaraços e contradições. Aprender a conviver com elas e ter consciência que muitas vezes elas nos ensinam muito mais sobre nós mesmos e nos aperfeiçoam muito mais do que aquilo em que parecemos ter muita força.
Contudo, não podemos esquecer que existem também seres humanos com virtudes e valores em que vale muito à pena depositar a confiança. O ser humano pode, sim, se aperfeiçoar, mudar, pode ser encorajado a trilhar novos caminhos. Essa própria esperança Deus deposita na existência humana, porque o que Ele mais tem prazer em fazer é a transformação saudável do carácter, dos valores, a construção do amor e da compreensão.
Muitas das grandes alegrias da minha vida nasceram da solução de grandes e pequenos problemas. Porque eles também nos ajudam a enxergar melhor o nosso eu, a nossa família, as pessoas, o trabalho, o ar, o verde, os céus, a vida, Deus, os amigos, os momentos mais pequeninos, etc. Se passar por algum momento de asfixia nem imagina como será bom respirar normalmente, inspirando e expirando, sentindo o ar entrar e sair livre dos pulmões.
Problemas podem, sim, nos asfixiar. É preciso ter esperança de voltar a respirar com toda força dos pulmões, da alma.
Outra grande possibilidade quando decidimos enfrentar um problema é o exercício da paciência. Podemos chegar a pensar até como conseguimos chegar ao final. Essa paciência é condição vital para definir no carácter uma esperança saudável, que não se apavora nem deixa que o período tão hostil de espera seja um monstro que nos esprema continuamente, tirando toda força e equilíbrio. Ocorre que para a paciência se desenvolver é necessário que situações que impliquem em espera apareçam. Que nós soframos esse poder de impacientar que certas situações possuem.
O tempo tem um poder de nos cansar e desanimar, principalmente quando algo nos incomoda e nos afasta de um estado ideal de harmonia e bem-estar. Então, a cabeça realmente pode esquentar, o descontrole, a irritação tomar conta do estado de espírito. São esses componentes naturais que devem ser melhorados e até evitados. Perder a cabeça e adotar atitudes drásticas, ir embora, se revoltar, praguejar não resolvem nada. A não ser nos casos em que há uma premente necessidade de mostrar que não estamos mortos, e fazer valer nossos direitos. Fora isto, quanto a problemas muito sutis e complexos, que envolvem muitas questões de esperas necessárias, não vale à pena de jeito algum.
Um problema pode nos proporcionar períodos de muitas lágrimas e sofrimento. Com a incapacidade de resolver com um passe de mágica a situação, sentimos latente a fragilidade do ser e como essa fragilidade está presente em nossa vida e na dos nossos semelhantes. Ser forte implica quase sempre em superar um monte de fragilidades. Essa consciência de fragilidade pode ajudar a nos levar a um estado necessário de humildade. 
Humildade para ser verdadeiro e sincero. Falar o que é necessário sobre o problema, ajudar as pessoas a entenderem a situação. Muitas vezes, um problema se agiganta porque teimamos em ocultar informações, teimamos em mentir, em esconder, em não admitir fracassos anteriores, insucessos. Temos medo de que esse problema nos leve a um exílio, rejeição, solidão, isolamento. Tememos que ele não tenha solução. A culpa por saber que erramos causa ainda mais dores.
Humildade para reconhecer não só os próprios limites, mas também do outro, de suas compreensões e interpretações. Para admitir os próprios sentimentos em relação à situação, ao que nos incomoda. Humildade para falar com educação, com respeito, com sentimento verdadeiro.
Enfim, a humanidade inteira vive para dar conta de suas necessidades e o funcionamento da sociedade é basicamente um conjunto de soluções para vários problemas da vida em grupo. Essa difícil, complicada vida em grupo.
Então, aqui dou alguns conselhos para resolver um problema. Vou me basear na minha experiência com diversos tipos de problemas e em tudo que já ouvi de pessoas que como eu conseguiram extrair alguma lição deles. Não digo que já resolvi todos, mas resolvi muitos com ajuda do Pai bondoso e fiel. Digo sem medo e com convicção.
1 - Refletir se o que traz preocupação é realmente um problema. É realmente algo que precise de solução. Ou se é apenas o modo como a situação é encarada por você.
2 - Aceitar que tem um problema e tratá-lo como um problema.
3 - Estudar o que pode ser feito para o problema ser resolvido e traçar um plano, um conjunto de medidas para alcançar a solução desejada.
4 - Renunciar toda forma de preguiça, toda prática que impeça a solução do problema. Isto inclui não se entregar ao desespero, não descrer, não desistir. Se possui negativismo e derrotismo, lute contra eles. O negativismo se adiciona na cabeça como um carrapato sugando a motivação, sugando as forças. Pense positivo, acreditando que as coisas podem e vão dar certo. Se pede algo a Deus, não peça com incerteza de que Ele pode, porque tudo é possível para Ele. Ocorre que Deus tem uma maneira própria de interferir no mundo e nas nossas vidas, permitindo muitas vezes situações indesejáveis, que só Ele entende a razão. Contudo, é preciso confiar em Seu amor e em Sua divindade.
5 - Se for preciso, não dormir nem descansar se o momento é único, especial e oportuno para a solução do problema.
6 - Se algo é possível, por mais difícil que seja, então dependendo do seu esforço, a solução pode se tornar provável, se se mantiver com disposição e firme propósito de conquistar uma solução.
7 - Creia em Deus, mesmo que sua cabeça esteja impregnada de culpa, ateísmo e descrença. Ofereça sacrifícios de louvor, adoração, jejum. Chore nos pés do Senhor, insista com o Senhor, acredite mesmo contra o impossível.
8 - Tire momentos de prazer, de alegria, sempre que possível e do jeito mais sincero possível. Viva cada dia de uma vez.
9 - Tenha consciência que podem existir fracassos, insucessos. Esses podem se tornar fontes de aprendizado para fazer algo de modo diferente, fazer melhor, prestar atenção em diferentes detalhes. Porém, nunca desista, a não ser que esse desistir signifique optar por um caminho melhor para a vida.
10 - Busque tudo o que é bom: músicas que lhe motivem, lugares bonitos, momentos agradáveis, um filme que lhe distraia, lhe faça rir, faça exercícios físicos se puder. Cuide de si mesmo, do cabelo, dos dentes, da pele. Essas coisas podem aliviar a tensão. Essa busca inclui amigos, família, bons livros.

Um abraço. Desejo sinceramente que comece a resolver seus problemas. Confie em Deus.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Para seu comentário ser publicado:
1 - Não faça comentários ofensivos, abusivos, com palavrões, que desrespeitem as leis dos país.
2- Os comentários devem ter relação com a postagem.

 

Estatísticas

Blogger WidgetsBlog statistics Widget For Blogger

Link-Me

Receber atualizações por e-mail

Enter your email address:

Provido por FeedBurner

Seguidores do blog

Mais lidos

Compartilhe