Pesquisar neste blog

Coisas da vida

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Vejam só que situação. Hoje, fui a uma instituição estatal da área jurídica. Motivo: eu talvez fosse convocado ontem para participar de um evento da área jurídica. Se eu não atendesse o chamado, estaria sujeito a sérias punições, se não fosse confirmada uma justificativa amparada por lei.
Como estava com uma virose muito forte não poderia comparecer, tive febre, dor no corpo e no dia dessa "reunião" estava muito enfraquecido.
Mesmo assim, reuni forças e fui a um posto do USF, não havia mais fichas, mesmo assim, eu informei sobre minha situação à atendente. Esta falou com a médica, que humanamente aceitou me atender. Porque virose, como todos já podem saber, um dia nos deixa muito mal e no outro dia pode já ter passado seus piores efeitos. Então, se eu deixasse para ir ao médico no outro dia, talvez não conseguisse mostrar ao médico que eu não estava bem fisicamente.
Eu falei à médica que precisava do atestado, afinal, de manhã tive febre, estava com o nariz entupido, o corpo dolorido. Mesmo na avaliação médica, pude ver no olhos dela uma certa desconfiança. Eu até entendo porque tem um monte de gente que alega estar doente sem ter qualquer problema, ou até exageram na sua auto-avaliação.
Mas no meu caso, não me passaria a esse papel ridículo de ir ao médico atrás de um atestado falso, alegando ter problemas que não tenho, ou espetacularizando, fingindo.
A médica me avaliou, que é o básico, né verdade? Chegar a um médico e ele não lhe avaliar, não lhe tocar, não usar de nenhum instrumento de avaliação, apenas fazer perguntas, mais empenhadas em lhe pegar numa mentira, ou lhe avaliar pela cara, como já aconteceu comigo, isso é muito comum, mas é errado.
Após a avaliação, ele realmente entendeu minha situação e emitiu o atestado.
Agradeço, volto pra casa. O cansaço domina meu corpo. Afinal, há uma luta interna do corpo contra a virose. Fico deitado o resto da manhã e boa parte da tarde, meio cansado.
À noite, já estava bem melhor. No outro dia, iria enviar o atestado médico a essa instituição. A recepção foi feita por um guarda municipal. Visivelmente sem preparo para atendimento, mas pelo menos me ouviu.
Fui encaminhado a um local onde poderia entregar o atestado.Minha consciência estava muito limpa quanto ao meu procedimento.
Ao entregar o atestado à devida pessoa, ela me pergunta:
- Ontem, você não pôde vir e hoje VEIO? Olhando com visível desconfiança!
Eu tive que respirar fundo e respondi:
_ Eu fui avaliado por uma médica!
Espero que o senso ético e profissional dela tenha entendido a resposta.
Para que existe atestado? Para que existe um médico? Se eu adoecer outra vez e vier com o devido atestado, ela pensará o que? "Acho que aí tem mutreta, toda vez que é convocado, ele vem com atestado!"
Bem, mas pelo silêncio e falta de argumentação dela, creio que ela entendeu.
Puxa! Sou um cidadão brasileiro, trabalho desde minha tenra idade, dei minhas mancadas na vida, mas procuro ser honesto. Sou consciente de que tudo o que pago tem imposto que vai para os cofres governamentais. E o atendimento que me é dado por pessoas pagas pelo Estado é esse!
Isso não tem nada a ver com Presidente, Governador ou Prefeito. Tem muita coisa nesse país que é devido a um excesso de despreparo para lidar com o ser humano, para tratar um ser humano. Talvez até exista esse preparo, mas na prática, não se efetive como se espera.
Sou funcionário público também e sei o que é atender. Sei o que é que devo falar ou não. Por que uma pergunta dessa pode querer dizer muitas coisas:
1 - Se hoje você está (na minha visão onisciente e soberana) bem, então, ontem você estava bem também. Logo, você está mentindo. O atestado pode ser falso. Você ou enganou o médico ou, em último caso, o comprou.
2 - Se você mente para o estado, então você é alguém desonesto.
3 - O médico ou é um canalha ou um incompetente, vendo que você não estava doente e mesmo assim emitiu um atestado médico.
4 - Os seres humanos são criados em série. Se aconteceu assim com outros, com você é o mesmo. Se você estava doente ontem deveria estar hoje e outros dias também, porque...
Obs.: ela nem poderia saber qual é o meu problema porque o diagnóstico foi feito por meio de CID. O CID é a classificação internacional de doenças. Só não sei se cabe a ela saber qual o problema que me impossibilitou de ter comparecido a essa "reunião". Para isso creio que deve haver pessoas qualificadas.
Bem, o atestado foi entregue. O CID estava declarado, minha família e amigos viram minha situação, mesmo assim, ainda tenho medo de como as coisas funcionam neste país.

2 comentários

  1. Eu acredito em vc, amigo...
    Deus também...
    e se sua consciência está tranquila, isso é o que importa.
    aqui no trabalho a gente não pode ficar doente na sexta pq dizem que é desculpa para emendar no final de semana e se ficar doente na segunda logo pensam que a gente abusou no final de semana e está de ressaca... e no meu caso, se precisar levar um filho ao médico, não tenho direito a abono, sou descontada de atraso, e por aí vai... mas mesmo que o mundo insista em nos confundir com a maioria que só quer levar vantagem em tudo, continuemos nossa luta em tentar ser honestos... mesmo que não acreditem!
    melhoras e se cuida!
    beijinhos e fique com Deus.

    ResponderExcluir
  2. Meu amado vc tem todo o meu apoio, infelizmente neste mundo em que vivemos lidamos com muitas injustiças, só o amor infinito do nosso Senhor Jesus pra nos fortalecer, fique na paz!!

    ResponderExcluir

Para seu comentário ser publicado:
1 - Não faça comentários ofensivos, abusivos, com palavrões, que desrespeitem as leis dos país.
2- Os comentários devem ter relação com a postagem.

 

Estatísticas

Blogger WidgetsBlog statistics Widget For Blogger

Link-Me

Receber atualizações por e-mail

Enter your email address:

Provido por FeedBurner

Seguidores do blog

Mais lidos

Compartilhe