Pesquisar neste blog

Como um vale de ossos secos (poesia com declamação de versículo)

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Às vezes parece que é tudo tão em vão
Que os frutos nunca vão crescer
Que as flores não vão desabrochar
Que o inverno congelará pra sempre
E o verão queima todo sonho
E a primavera jamais tem flores de paz
Tantas vezes lamentamos as mãos tão calejadas
Os pés cansados, já sem forças pra andar
E do caminho nos perturbamos cada dia mais
E que tudo de que falamos
Nem pra nós mesmos têm real valor
Nem a mais profunda dor nos faz desmaiar
Nem o grito mais alto parece ser ouvido
Parece tudo tão vão
Já viramos pó
A vida se torna um cadáver
Nada mais parece nos levantar
Viramos um vale de osso secos
Secos!

“Profetize a estes ossos e diga-lhes: Ossos secos, ouçam a palavra do SENHOR! Assim diz o Soberano, o SENHOR, a estes ossos: Farei um espírito entrar em vocês, e vocês terão vida. Porei tendões em vocês e farei aparecer carne sobre vocês e os cobrirei com pele; porei um espírito em vocês, e vocês terão vida. Então vocês saberão que eu sou o SENHOR.” (Ezequiel 37:4-6)

“A seguir ele me disse: ‘Profetize o espírito; profetize, filho do homem, e diga-lhe: Assim diz o Soberano, o SENHOR: Venha desde os quatro ventos, ó espírito, e sopre dentro destes mortos, para que vivam’. Profetizei conforme a ordem recebida, e o espírito entrou neles; eles receberam vida e se puseram em pé. Era um exército enorme!” (Ezequiel 37:9 e 10)

Já podemos ver as flores
E respirar o ar
Nossa vida pôde renascer
Ser refeita
O sol volta abrilhar
Já conseguimos ter certeza
A sepultura foi destruída
Agora brilha radiante a vida
A pele, o corpo, tudo foi refeito
E então já podemos como exército batalhar

(Jackson Angelo)

Às vezes é necessário se esconder

Fiquei impressionado com as imagens abaixo; elas representam camuflagens naturais. É até difícil reconhecer onde começa e termina o bichinho.
Agora imagine essa camuflagem no ambiente natural. Quem irá vê-los?
No excelente site do Mundo Estranho tem uma explicação para o fenômeno:

"COMO OCORRE A CAMUFLAGEM DO CAMALEÃO?"
O mimetismo é a capacidade de imitar o ambiente, para se confundir com ele. O camaleão faz isso trocando de cor, porque consegue controlar a concentração de pigmento nas células de sua pele. Tais células têm formato estrelado, com ramificações que se distanciam do centro. Ao longo delas, existem microtúbulos para carregar o pigmento do núcleo para as extremidades. Há vários tipos de pigmentos, formando cores diferentes. Dependendo da situação, os microtúbulos carregam determinado pigmento para as ramificações das células, alterando a cor da pele do bicho. Os fatores que provocam a mudança vão da defesa do território contra um macho rival à camuflagem para fugir de um predador ou se aproximar de uma presa. "Passar de uma planta verde para outra florida também pode desencadear o mimetismo", diz a bióloga Maria Aparecida Visconti, da USP. Além do camaleão, outros lagartos, lulas e polvos também podem mudar de cor rapidamente.
Fonte: http://mundoestranho.abril.com.br/mundoanimal/pergunta_285713.shtml
Nisso me veio à mente a parte a do versículo 12 do cap. 27 do livro de Provérbios: "o avisado vê o mal e se enconde".
A natureza também nos ensina: se esconder muitas vezes é melhor do que ir diretamente a uma luta, que pode ser até desleal, dependendo do tamanho do inimigo. Se há problemas e situações para os quais somos meio que pequeninos e frágeis, melhor se esconder deles, já sabendo que aquela situação é negativa e destrutiva.

Vivo um sonho bom: você! (poesia e wordart)

Wordart: Jackson Angelo
Imagem transparente; 300 DPI; PNG; pode ser usado em montagens


Tive um sonho bom, tive um sonho bom
Aterrisou O sonho embalado de presente
No terreno antes tão seco e infértil do meu coração
Vivo um sonho bom, vivo um sonho bom
Você apareceu qual cometa luminoso
Invadindo o meu espaço
Iluminando toda imensidão do meu céu
Dei adeus ao frio e à escuridão
Já posso enxergar meu caminho bom

Vivo um sonho bom, vivo um sonho bom
Até o vento traz música
Até o silêncio é diferente ao teu lado:
Ele não congela, me aconchega
Já não entristeço quando caem as flores do jardim
As estações vêm e vão calmamente
Já me olho no espelho e vejo o novo brilho do meu olhar
É tudo tão bom, bom, bom
Mesmo no sofrimento sinto tua mão
Mesmo na tempestade sinto teu fresdor e ternura

Vivo um sonho bom, um presente caído do céu
Sob medida pra me fazer renascer
E voltar a viver de verdade

(Jackson Angelo)

15 molduras infantis com Diddl, Dumbo, Minie, Pooh, e outros (PNG)


Imagem e wordart em alta resolução de Princesa Ariel (PNG)

Ampliado vai ter o seguinte efeito. Esse efeito é bem fácil, ele é conseguido com styles (estilos) de Photoshop. Procure no Google que encontra vários. Procure por styles Photoshop gliter; tem gratuitos e tem comerciais.

Para baixar o nome clique na imagem (4shared).
O wordart acima foi feito por mim pra combinar com essa princesa linda: Ariel.
Para baixar a imagem de Ariel clique na imagem (4shared).

03 MOLDURAS: NATAL AZUL

Para baixar clique nas imagens (Mediafire).

CALENDARIO 2010 Pucca (PNG)

Calendário 2010 Pucca; 30x20 cm: PNG; 300 DPI.

"Estou aceitando sugestões com misericórdia e bom senso!"

Para baixar clique na imagem (4shared)!


Molduras enviadas por Naymar Santos (PNG)

Naymar, obrigaDOOOOOO!!!
Para baixar clique nas imagens (4shared):


Montagens com baixa resolução para Orkut, MSN e similares:

O "Vingador"

O que vou falar é real, não é muito interessante e pode soar até infantil, então pode avançar a página se não quiser ler.
Um amigo meu teve um sonho. Esse sonho, vou enfatizar, não tem nada a ver com religião nem meu objetivo é dentro dessa esfera.
Ele sonhou que voava calmamente, enquanto as pessoas lhe acenavam debaixo, ele parecia estar com o ego cheio, um pouco envaidecido, posto que as pessoas também admiravam sua beleza.
Quando apareceu algo parecido com o Vingador de Caverna de Dragão e parecia querer persegui-lo a fim de o destruir. O "meu amigo", vou chamá-lo assim, não se intimidou e achou que era uma boa hora de mostrar as pessoas o seu poder.
O "Vingador" começou a crescer e olhar intensamente pra ele, enquanto meu amigo o encarava. Daí começaram a disparar algum tipo de chama de fogo um no outro. As chamas de Vingador eram pretas, as chamas do meu amigo tinham cor de ouro.
Ao ver a disputa e as chamas de fogo, as pessoas ao redor se afastaram com muito medo.
"Vingador" e o "meu amigo" travaram uma luta renhida. O "meu amigo" nem sabia de onde nem como conseguiu ter esse poder e enfrentar cara a cara o "Vingador".
Quando os dois, em certo instante, pareciam gastar cada gota de combustível de seu poder para incendiar um ao outro.
Ambos queriam mostrar quem era o mais forte e poderoso.
O "meu amigo" então disparou tanto fogo que conseguiu abater o "Vingador".
"O Vingador" virou uma espécie de fumaça cinzenta e lentamente sumiu no ar.
A vaidade do meu amigo foi recompensada.
Quanto "meu amigo" respirava tranquilo e pensava ter acabado, "Vingador" apareceu por trás dele e o agarrou dizendo: "Volte para dentro de mim". Não houve como resistir e ele foi para dentro do "Vingador", como um retorno.
Então, mesmo sem saber "meu amigo" já fazia parte do "Vingador", que só estava reivindicando uma coisa que era dele.

"Meu amigo" acordou assustado, mas ele imediatamente tirou poucas mas úteis conclusões:
1 - Não adianta combater o mal com vaidade; a vaidade pode nos tornar uma parte do mal também;
2 - Muitas vezes combatemos um problema do qual fazemos parte. Quer dizer, as origens , as causas do problema não estão fundamentalmente fora de nós, mas muito dentro. Então, é preciso verificar o interior, verificar do que estamos fazendo parte.
3 - Existem problemas que são maiores do que nós e não devemos ter a arrogância de enfrentar sozinhos;
4 - A vaidade pode fazer com que levantemos vôo e nos sintamos poderosos, contudo na hora de enfrentar o problema, a razão deve prevalecer, não a emoção, a necessidade de mostrar que se pode vencer.
5 - Na aparência do que chamei de "Vingador", o meu amigo enxergou "a vingança"; na luta com "Vingador", ele enxergou as questões e brigas motivadas pela vingança. É comum existir entre muitas pessoas um eterno sentimento de vingança: vingança porque em certo instante um foi mais esperto, um ganhou o que o outro queria, um falou algo que o outro não gostou, etc., as famosas questões da vaidade abalada e da inveja. Não precisa ser necessariamente uma vingança motivada por maldade, por algo muito errado que o outro fez, falo das coisas pequenas do dia a dia, das pequenas CONTRARIEDADES que não agigantadas pelo ego, inveja, ciúmes, sentimentos tolos, muito inúteis para o bem, mas propulsores e criadores de muitas maldades. Maldades que podem se agigantar e de repente ficar tão grande quanto um "Vingador".
O "Vingador", o conjunto de vinganças, já passa a ser outro ser dentro e fora do coração. Um mal que nos faz enxergar sempre exteriormente o problema, sempre no outro ser, nas pessoas, mas tá lá dentro do coração. De tal modo o "Vingador" pode crescer que ele pode com autoridade declarar: "Volte pra dentro de mim!". Quer dizer, não é mais uma parte do nosso ser, agora somos inteiramente capturador por ele, fazemos parte dele.
 

Estatísticas

Blogger WidgetsBlog statistics Widget For Blogger

Link-Me

Receber atualizações por e-mail

Enter your email address:

Provido por FeedBurner

Seguidores do blog

Mais lidos

Compartilhe