Pesquisar neste blog

Meu primeiro desafio

domingo, 24 de maio de 2009

DESAFIO

Amigos, esse é o primeiro desafio do qual participo. Recebi do blog TCArtesanato: http://tcartesanato.blogspot.com. Diga-se de passagem, excelente. Espero me sair bem e corresponder às expectativas.

Regra 1 -Deixar à disposição de todos os visitantes do seu Blog. Pronto tá aqui!

Regra 2 - Obedecer o seguinte regulamento:

  • 1-Indicar a pessoa que te enviou o desafio (nome e blog);
  • 2-Deixar as regras no blog;
  • 3-Nas regras consistem ainda, tornar publico 7 desejos ou coisas sobre mim;
  • 4-Deixar um comentário as pessoas a quem se vai indicar;
  • 5-Indicar 5(cinco) pessoas.
1. Nome: Tatiane Rodrigues; blog: http://tcartesanato.blogspot.com;
2. Deixei as regras. Ok.
3. 7 desejos ou coisas sobre mim:
Sobre mim: 1 - Tenho medo de ser picado por cobra ou escorpião; quando sei que o ambiente é favorável cismo, principalmente com banheiros, olho pro chão, não piso no escuro ou sem olhar pro chão. Com relação a cobras, apenas em florestas, ou áreas que têm mato.
2 - Não sei andar de bicicleta (acredite), nem de carro, ou moto, minha mãe vive brigando comigo por conta disso; acredite também me acostumei a sofrer por isso e me acomodei. Mas enxergo mudanças no futuro. Tem coisas que eu não me apresso, vá entender! E não me sinto culpado por isso. O que posso fazer?!!!!!!!!!!!
3 - Sou muito crítico e sincero, por mais que me controle. Na verdade, vivo tentando me controlar, porque minha língua é assanhada e vive querendo dizer o que pensa sem refletir. Já me arrependi de várias coisas do que disse. Tou aprendendo a raciocinar melhor sobre o que digo e como digo. Descobri que não são só as mulheres que levam as coisas pro lado pessoal, os homens também e muito. Homem também fofoca, também se ressente, também fala um do outro.
4 - Eu entendo as razões do que vou dizer, mas sou muito perseguido seja no ambiente escolar seja no trabalho. É que sou muito criativo (não digo inteligentíssimo), e gosto de ter certeza do que dizem; minha mente tá sempre criando. Algumas vezes dá um vazio na cabeça, mas de repente cai algo e invento alguma coisa. No meu novo setor (já tou lá fez cinco anos), entrei sem saber de nada e, hoje, obedecemos toda legislação vigente e até manual e código de ética tem. Gosto de experimentar coisas boas e novas, apesar de que em cidades pequenas é um pouco complicado.
5 - Sofri muito pra me aceitar como sou, mas procuro ajudar as pessoas que são assim. Durante boa parte da minha vida, eu escondia minhas opiniões com medo de represálias; hoje, isso não ocorre mais; tenho minhas opiniões, mas não digo que todas são irredutíveis, posso sempre aperfeiçoá-las. Adoro isso: aperfeiçoamento.
6 - Distribuo cestas básicas pra pessoas carentes quando posso
. Nesse sentido quem quiser me ajudar basta contactar e fazer doações. Se não a mim, recomendo faça em sua cidade, deve ter alguém precisando.
7 -
Minha saúde é um pouco frágil, tive TVP na perna esquerda e tenho ligeira dificuldade de respirar em ambientes com poluição ou ar-condicionado sujo ou ainda quando sinto cheiro de perfumes fortes. Tenho problemas de azia toda semana, porque sempre saio dos meus regimes. Sou um pouco frágil pra doenças do trato respiratório, quando gripo sofro; alergias a mil e uma coisas; já tive meningite, 2 dengues, 2 pneumonias, (na última quase morro), bronquite; mas nada me derrubou, graças a Deus!

Sinceramente, não sei muito bem a quem indicar, pois me relaciono pouco com os blogueiros. O tipo de relação que estabeleci com os blogueiros na net sempre foi muito tácito, tenho medo de ser inconveniente. Às vezes a pessoa não quer. Mas, vou tentar estudar isso e próximo fim de semana vejo se cumpro esse desafio na íntegra. Lembre-se que é o meu primeiro desafio, Tatiane. Um abraço!

Agora é a vez da dengue suína



Aprendi: BOD-MOD, Body-modification (modificação corporal)


Essa já faz um tempo que aprendi, mas relutei em pôr no blog, porque quebra com tudo que se espera dele, mas está de acordo com o que, na minha intuição, pretendo divulgar enquanto informação.
Minha justificativa, é que o aumento das práticas de bod-mod (body-modification, body-alteration, modificação corporal), com a criação de um universo cada vez mais específico, tornam o assunto um fenômeno social muito relevante, pois ele cresce muito. Também pelo fato de que muitos já são praticantes de bod-mod, em menor ou maior escala. Então, com o que estou convivendo nesse sentido?
Meu objetivo é ligeiramente explicativo, não vou fazer juízos de valor nem análises à luz da bíblia ou qualquer outro referencial.
Primeiro, gostaria de compartilhar algumas fotos divulgadas em alguns sites, como sempre sem citação das fontes:


Ainda gera algum impacto né? Na Wikipédia, tem apenas um esboço em língua portuguesa sobre o assunto:

A modificação corporal é a alteração deliberada e permanente do corpo humano por razões não médicas. As práticas de modificação corporal existem há milhares de anos, com as suspensões na Índia, as tatuagens na Oceania, as perfurações na Ásia e na América, e a escarificação na África. Esses costumes tribais foram descobertos pelos marinheiros europeus no século XVI, mas ficaram marginalizados durante muito tempo. Na década de 1960, houve uma valorização da cultura oriental e as tatuagens passaram a ser mais populares. Já as perfurações e os piercings começaram na década de 1970, com os punks. Na década de 1990 ocorreu uma explosão de estilos e práticas.
Como vemos, a modificação corporal engloba uma série de práticas que, geralmente, tem como ponto de partida o querer do indivíduo de modificar o seu corpo e obter um novo visual. É diferente das cirurgias plásticas reparadoras ou estéticas, muitas vezes determinadas pela vontade e necessidade do indivíduo de querer ser mais bonito, (conforme seu conceito ociental de beleza - cscob) mais sensual (cscob), ou corrigir deficiências físicas (universal - acho). Se bem que, esse conceito de belo é sempre muito abstrato. Talvez, a bod-mod pretenda mesmo ser um novo tipo de beleza, aos nossos olhos ocidentais, uma não-beleza. Pessoalmente, não é nenhum pouco agradável aos meus sentidos.
Não é a harmonia, não é a aparência culturalmente cristalizada de beleza que o blood-mod, perdão bod-mod propõe, mas um conceito meio "loucanárquico", diria até sanguinário, por isso saiu blood-mod. Blood é sangue em inglês.
É possível enxergar no conceito acima uma forma de evolução no sentido de abertura: o que posso modificar? Até que ponto posso modificar? Até que ponto sou dono do meu corpo e nele não manda a cultura, a religião, a moda? Sempre chega um novo grupo e apresenta um novo conceito. O que se vê hoje na modificação corporal é a vontade de não ser humano, o abandono do natural em toda sua manifestação. Outra questão: até que ponto posso ser ou não natural?
Sabe, os demônios de histórias em quadrinhos e filmes? Os personagens mitológicos? Os ciborgues, Pokemons, os seres híbridos e mutantes que tantos anos inundaram os vídeos da garotada? É aí uma das fontes de inspiração dos amantes de "bod-mod". Tem vários casos famosos no mundo, mas não é do meu interesse destacá-los aqui.
Com a internet e a divulgação das mais diversas formas de modificação corporal, a bod-mod uniu o que existiu de mais, digamos, amedrontador em cada uma delas; conforme Wikipédia:

A suspensão de corpo (body suspension) - o ato de suspender um corpo humano através de ganchos passados através de perfurações na pele. Estas perfurações são temporárias e são abertas pouco antes da suspensão ocorrer;
Piercing (ou Pírcingue - palavra normatizada no português de Portugal) - é uma forma de modificar o corpo humano, normalmente furando-o a fim de introduzir peças de metal esterilizado;
Escarificação - é uma técnica de modificação do corpo que consiste em produzir cicatrizes no corpo através de instrumentos cortantes. Diversas culturas utilizam está técnica. Na África em algumas culturas as mulheres utilizam a escarificação como forma de beleza.
E pra se imaginar a dimensão desse universo social, elas têm sites, organizações e, claro, mercado. Acham que o capitalismo deixa de fora qualquer ser humano? A não ser que não tenha dinheiro. Existem vários sites especializados em tais práticas. Entre eles, de destaca o site www.suspension.org, especializado em suspensão de corpo, cujo objetivo é informar sobre técnicas do que eles chamam de arte da suspensão de corpo. Quer dizer, eles encaram a prática como uma arte , não um conjunto de técnicas. Existe quase para cada parte do corpo uma técnica de suspensão. Ah! A imagem abaixo vai falar um pooooouco sobre o que é "eye sewing" - mais ou menos, suspensão de corpo pelos olhos ou um ingrediente a mais para as suspensões.

Tem vários tipos de suspensão de corpo: suicide, vertical chest, lip sewing, kavadi, ritual branding, lotus suspension, superman suspension, knee suspension, entre outros ainda mais incomuns. Para eles, isso é uma arte e um modo de ser e viver. É uma escolha.
E entre uma galeria e outra, claro o shop, onde os praticantes podem comodamente escolher os produtos mais adaptados e eficazes para a suspensão:


Os piercings, por sua vez, são a prática de modificação corporal mais utilizada pela juventude atual. Assim, pode-se incluir nessa denominação o uso de brincos, pois também são postos artificialmente no corpo sem auxílio e orientação de um médico. Contudo, os que fazem bod-mod não são econômicos e usam muitos piercings. Abaixo tem uma foto de Elaine Davidson, a mulher com mais piercings no mundo, que, pra nosso orgulho, é brasileira e está no Guiness Book (O Livro dos Recordes):
Um aspecto bem, digamos, carnavalesco. O que dá mais curiosidade de saber é como era seu rosto antes dessa "montagem". Uma das frases históricas dela é: "Eu gosto da dor, eu amo a dor!"
A escarificação tem vários sites e organizações. Na internet, a mais conhecida é: www.bmezine.com, que apresenta galerias desconsertantes sobre as práticas de bod-mod. Abaixo apenas a primeira página atual do site da galeria de escarificação:

E como prova maior desse universo de significação, a Bmezine tem uma enciclopédia que imita o layout da Wikipédia, no seguinte endereço: http://wiki.bmezine.com/index.php/Main_Page. Simplesmente possui quase todo tipo de informação já coletada sobre o assunto.

Bem, é isso, aprendi um pouco mais sobre essas práticas escrevendo pra outros, que eu nem sei quem serão. Pra não perder o fio estético do texto, nessas andanças digitais, ainda fui parar num site especializado em modelos "feios", tanto masculinos quando femininos: a www.Ugly.org. Olhando o site, afirmo que nem todos são feios, mas estão um pouco ou muito atrás do que os outdoors e revistas expõem em suas campanhas publicitárias, mas de certo modo, parecem seres mais próximos do ser humano comum. E, sim, tem cada criatura!

Na internet tem um estudo no formato doc no site da Furg, que, claro, baixei e aproveito pra deixar aqui o resumo do trabalho, de autoria de Alessandra Amaral:

Podemos afirmar que as pessoas, na atualidade, vêm utilizando os seus corpos como forma de comunicação com o mundo, muitas vezes causando certo estranhamento na população, por conta da forma como trabalham no/com o seu corpo. Um desses meios de comunicação são as práticas associadas ao body modification, termo esse definido como procedimentos cirúrgicos voluntários que marcam o corpo. Essa forma de pensar o corpo intensifica-se na adolescência, pois é nesse momento que as mudanças corporais estão em evidência, surgindo a necessidade de se enquadrar e de ser aceito pela “turma”, tornando os corpos iguais perante a sociedade e diferentes entre si. Um dos espaços onde essa diversidade cultural é bem demarcada é a escola, por ser esse o local onde os jovens se unem para construir a “sua” identidade. Algumas das remodelagens relacionadas ao body modification presentes no espaço escolar são os piercings, as tatuagens e as escarificações. Freqüentemente, os profissionais da educação desconhecem essas práticas ou não as problematizam, acreditando que expondo o assunto incentivarão tais atos. Neste contexto, o fundamental é, primeiramente, a constatação de que estas práticas estão se expressando nas escolas e não nos focarmos nos motivos pelos quais os jovens as vivenciam; e, em segundo lugar, ressaltar que as remodelagens corporais não são por si só “preocupantes” e sim o meio que esses jovens utilizam para fazê-las, pois, muitos deles praticam tais técnicas sem nenhum cuidado com a saúde. Assim, o que se discute é que esse espaço, considerado como o “centro de formação das pessoas” não deveria esconder essas novas formas de perceber as questões da corporeidade.

Ela consegue estabelecer bem a importância de se conhecer esse assunto, principalmente, porque são práticas que pouco a pouco se multiplicam nas escolas, sendo necessário que os professores discutam o assunto mais claramente, em todos os seus aspectos, por não se tratar de um simples modismo, mas porque existem muitos riscos envolvidos na bod-mod e alguns pagam terrivelmente por isso: pessoas se machucam, se desfiguram, é um universo que ama a dor, ama a tortura. Homens e mulheres têm partes importantes do corpo mutiladas, etc. O homem possui uma convivência histórica com o seu corpo. De certo modo, nossas vaidades sempre nos conduz a alguma forma de ajustá-lo conforme nossos interesses e desejos. Bem deixo o assunto para pessoas mais gabaritadas. Espero ter ajudado em termos de informação e peço desculpas por alguma ironia.

Processo de fabricação de pérolas em imagens

Algumas vez ficou curioso pra ver o processo de extração das pérolas? Bem, eu nunca fiquei, mas pra quem já ficou, selecionei algumas imagens que podem ajudar a ver melhor o processo.
Segundo a Wikipedia:
"Uma pérola (também designada por margarita) é um material orgânico duro e esférico produzido por alguns moluscos, as ostras, em reação a corpos estranhos que invadem o seu organismo, como um grão de areia. É valorizada como gema e trabalhada em joalharia."
Ah! Se nossa reação a certos corpos estranhos: raiva, dor, indignação, pudéssemos transformar em pérolas! Será que não?

A pedidos - mais uma moldura com tema Circo (PNG)

Essa fiz novamente com base em um wallpaper. Achei o wall muito funcional.
Tá no tamanho 15X10 cm; 150 DPI; PNG.



DOWNLOAD:

Yes, we can. Sim, nós podemos!

Este é um texto do pastor Geraldo Masgela, e tTem bem a ver com minha atual fase da vida. Porque, no momento tou tentando e conseguindo repreender o negativismo que se instala e infiltra de diversos modos na nossa atitude, forma de viver, forma de pensar, forma de avaliar, forma de planejar, modo der desistir, modo de existir. Enfim, estamos sempre lidando com possibilidades: posso ou não posso? Consigo ou não consigo? O pensamento negativo e derrotista impede tanta gente de tentar, de aprender a errar, aprender a se levantar, aprender a perseverar, correr atrás, de exercitar a fé e o viver, não consegue sair dos primeiros limites e depois dar saltos maiores, de chorar quando necessário. A vida passa dependendo de governos, de favores, de um sonho de sorte, de fantasias e desejos pouco realizados, momentos mal vividos, uma vida inteira que poderia estar sendo escrita, porque tem medo que as páginas fiquem borradas.
Queria só adiantar que respeito o presidente Obama. Sua história e tudo o que ele pode representar não tem precedentes na história dos líderes mundiais. Assim como Lula, ele representa minorias que dificilmente chegariam ao poder. Por outro lado, temo que essa escolha de liderança se torne um vício estratégico de forças políticas maiores. Espero que não tome o mesmo destino e decepcione tanto quanto o governo atual. Essa é uma opinião pessoal minha. (que redundância!) Também acho que há muita esperança e expectativa em torno de Obama e que muitos utilizam dessa expectativa como uma força paralela para limpar a história recente dos Estados Unidos da América e seu desrespeito às nações menos desenvolvidas.
Acrescente o poderoso Deus ao seu diário, acrescente um pouco de amor ao personagem chamado você, personagem sem ficção, personagem verdadeiro, que tem uma história pra contar, que pode interferir na sua própria história. Não espere que o homem mais rico do mundo lhe diga isso. Que o seu ator preferido lhe diga, que as pessoas que representam o sucesso nessa sociedade falida de justiça e sensibilidade lhe digam. Construa seu mundo, de tijolinho em tijolinho se constrói uma casa.
Se desfaça do negativismo. Ele sempre vai ter cada vez mais razão na sua mente, se você só der ouvidos a ele. Diga: sim, eu posso!

Agora, o lindo texto de Magela:


Barack Obama venceu preconceitos, superou formidáveis adversários, encantou uma nação e está mudando a concepção americana sobre o mundo com um slogan de campanha bem simples, mas eficiente: Yes we can. No nordestino meu ficaria mais ou menos assim: A gente pode! Para os mais sofisticados, Sim, nós podemos! O slogan é antigo e foi dito por Paulo, há dois mila nos: Posso todas as coisas Naquele que me fortalece. Baseado no Yes we can de Obama (felicidades a ele na Casa Branca) e na expressão paulina Posso todas as coisas, cito várias coisas que a gente pode. Eu e você podemos.

Sim, nós podemos ser felizes.

Sim, nós podemos perdoar e ser perdoados.

Sm, nós podemos vencer.

Sim, nós podemos superar qualquer obstáculo.

Sim, nós podemos viver contente em toda e qualquer situação.

Sim, nós podemos ser melhor e fazer melhor.

Sim, nós podemos ter vida eterna, por Cristo Jesus, Nosso Senhor.

Sim, nós podemos ser libertos!

Sim, sim,, nós podemos prosperar.

Sim, nós podemos fazer a diferença.

Sim, nós podemos ir além, muito além.

Sim, nós podemos tudo!

O diabo e seus agentes tentarão impedir nosso crescimento com palavras negativas e sugestões de derrota antecipada para que nos conformemos com a mediocridade de uma existência sem brilho. Dê um peteleco nele e grite, a plenos pulmões: Sim, a gente pode! Pode mesmo. Pr. Geraldo Magela (Igreja Evangélica Maranata Surubim - PE)
Tenha uma semana de conquistas. É o que lhe desejo!

O cavalo dançante de Danish Andreas Helgstrand (show!)

Continuo ainda me surpreendendo com as possibilidades de interação entre o homem e o animal. Mas é incrível pra mim como os animais irracionais conseguem ser matemáticos na execução de movimentos. Realmente, isso deve dar muito trabalho.
O evento é um pouco antigo, ocorreu em 2006, e nem de longe é assunto onde moro e com quem convivo na vida real ou digital. De fato, não sabia que existiam os Jogos Equestres Mundiais (FEI World Equestrian Games) e que o cavaleiro dinamarquês com a linda égua da raça hanoveriana Blue Hors Matine, a grande vencedora da principal prova, proporcionaram um espetáculo tão sadio e tão lindo, que poderia encantar qualquer audiência. Vejam:

 

Estatísticas

Blogger WidgetsBlog statistics Widget For Blogger

Link-Me

Receber atualizações por e-mail

Enter your email address:

Provido por FeedBurner

Seguidores do blog

Mais lidos

Compartilhe