Pesquisar neste blog

Carregando...

Quando tudo é nada mais

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

A poesia abaixo é só um lamento. Imagine quando a gente tenta de tudo pra ajudar alguém, a gente entende seus sofrimentos, suas limitações e, em certo instante da vida, pra ela é como se tudo tivesse acabado. Ela já não vê motivos pra ter esperança, pra falar, pra reclamar, pra amar, pra qualquer coisa, até Deus pra ela parece que falhou. O seu coração foi tomado pela tristeza e desânimo e ela fica enjaulada nessa perspectiva nefasta de abandono e inutilidade da vida.
Só um choque elétrico de Deus pra fazer bombear de motivação um coração assim!
O questionamento é ao mesmo tempo de quem esgotou seu repertório pra ajudar alguém, e o próprio alguém que como zumbi existe, mas morto e sem esperança.
Como toda poesia que faço, não há nada terminado nem finalizado. Daqui a alguns dias relendo, sempre mudo algo, corrijo, acrescento, tiro, até excluo.


Que dizer quando não há mais nada a dizer?
Como olhar nos olhos que já não vêem alguma luz?
Onde ficar quando se está perdido em qualquer lugar?
De quem se esconder se o inimigo está no coração?

Como voar se as asas pesam mais que o corpo?
Como gritar depois que entrar no caixão?

Quando tudo é nada mais
Pra que questionar?
Quando tudo é nada mais
Viver, morrer, vegetar, tanto faz

(Jackson Angelo)

2 comentários

  1. Particularmente achei as duas frases abaixo perfeitas :
    "Como voar se as asas pesam mais que o corpo?
    Como gritar depois que entrar no caixão?"

    Dá pra fazer diversas abstraçoes sobre culpa, viver a vida intensmaente e lutar pelo seus sonhos apenas om essas duas frases amei!

    ResponderExcluir

Para seu comentário ser publicado:
1 - Não faça comentários ofensivos, abusivos, com palavrões, que desrespeitem as leis dos país.
2- Os comentários devem ter relação com a postagem.

 

Estatísticas

Blogger WidgetsBlog statistics Widget For Blogger

Link-Me

Receber atualizações por e-mail

Enter your email address:

Provido por FeedBurner

Seguidores do blog

Mais lidos

Compartilhe