Pesquisar neste blog

A importância dos comentários em um blog

terça-feira, 13 de outubro de 2009

A questão de comentários pode ser um pouco chata pra quem edita e mantém um blog, porque ele muitas vezes passa horas se submetendo ao maior trabalho pra fazer textos, montagens, molduras, enfim, aquilo para o que se propõe fazer e compartilhar com um possível público interessado, e nunca ter um retorno que justifique tanto esforço! Se ele pensar, quiser esse reconhecimento a todo custo e não pensar se está alegre com o que faz complica muito mais.
Quando a gente inicia um projeto de site, de blog, deve pensar sobre o público possível?
Sim, mas muitas vezes não. No início do meu blog eu não me importava com isso, porque minha maior vontade era compartilhar e divulgar meus textos, idéias, pensamentos, opiniões. Com quem? Sei lá. Eu queria aprender a fazer, e escrevendo sempre me redescubro e me vejo melhor. Na verdade, nem era um projeto. Queria só externar meu mundo interior.
Não me veio ao coração a motivação de fazer amizades com usuários e parcerias com outros blogs.
Acho que a participação deve ser motivada e facilitada, porém nunca deve ser uma camisa de força.
Essa participação vai depender de vários motivos, e o gatilho fica na mão dos usuários.
O meu blog é bem vovozinho em relação a muitos atualmente. Apesar de algumas vezes receber mais de nove mil visitas por dia, a relação visita/comentário é muito pequena. Tem dias que não tem comentário de jeito nenhum. Hoje em dia acho importante a participação do usuário, desde que seja livre, sincera e educada. O número de internautas navegando, ainda que mudos, pode ser mais compensador do que poucos falando coisas que pagaríamos para não ouvir. O que não é meu caso.
O que escuto dos meus amigos internautas, tanto por meio de comentário, e-mails e caixas de chats me dá tranquilidade. Ninguém fica me obrigando a nada, afinal, internet é diversão, pra mim. Eu me refiro aos meus amigos internautas. Amigo já diz tudo!
Há serviços como o Blogger  em que apenas usuários registrados podem comentar. Esse tipo usuário dá mais segurança e confiança para o editor do blog.
A minha primeira postagem data de 09 de abril de 2005, há quatro anos e oito meses atrás, nela eu falava o seguinte:

"Uma extrema solidão me trouxe novamente ao universo dos blogs. Tenho meu diário, mas só escrevo às vezes. Em nada capricho. Novamente não foi a alegria que me fez um criador, tampouco quero ser destruidor. Será que quero encontrar alguém? Que fosse, no mínimo, especial. Não sei se quero informar pra mim mesmo: o quê? Nem estou feio nem bonito. Nem leio muito, nem sou artista, não há nada especial. Alguns me acham engraçado, outros inteligente, outros me odeiam, muitos hipócritas.
Eu me sinto como um animal enjaulado, mas já sem animalidade. Queria sair da minha anormalidade e ser como uma planta realizando fotossíntese, frutificando na estação certa. Mas, mas , mas. Hoje, eu me aborreci com tudo. Eu sei que tenho amor em algum lugar do meu coração e sei que o mundo quase todo precisa. Mas, mas, mas. Sei que posso falar coisas muito bonitas, mas não quero escrever algo que está distante do que penso e sou. Amar a justiça e a verdade me consola. Talvez, por isto mesmo a sociedade me assusta tanto e eu me veja, tantas vezes, como um covarde. Uma coisa é certa, entre milhares de coisas certas, eu tentarei compreender o que escrevo. Eu estarei aqui. Quero me ver cara a cara. Talvez, eu mesmo tenha coragem de me compreender."

Eu falava sobre minha motivação de blogar, a necessidade de desabafar, de comunicar, principalmente comigo mesmo. Falava ainda sobre a nenhuma importância de ter alguém que me ouvisse, ou entendesse o que digo, pois essa participação era uma coisa incerta. Bloguei muito pouco nos primeiros anos. Fiquei meses até sem blogar. Não tinha interesse algum de relacionamento. Era um diário, correndo o risco de ser compartilhado.
Quando fiquei frente à frente com os primeiros comentários alguns meses depois, não sei o que sentia. Mas quando se faz algo que vai ser visto, consumido e avaliado por outros, estamos lidando com o universo íntimo do ser humano. Por isso, o coração precisa se revestir de paciência, compreensão e ser dotado de um funil pra deixar passar só a água limpa.

Ganhei muitos amigos e até inimigos. Encontrei muita gente com palavras justas e outras cuja boca era um sepulcro aberto. Às vezes por ser sincero e direto demais magoei pessoas. Infelizmente, há pessoas que não sabem ouvir um NÃO, que não sabem reconhecer quando erram ou quando alguém identifica que seu comportamento não é coerente.
Cometi muitos erros, de diversos tipos. Alterei textos, deletei postagens. Coisas da vida (mesmo a digital).
Não escapei do fantasma cruel da desinformação da internet: spams, textos frankstein com autoria equivocada, repeti erros de informação de outros sites, tive que rever demais meu conhecimento da língua portuguesa.
A correção de textos é frequente. Tem dias que, ainda que preste toda atenção, corrijo um texto mais de dez vezes até que o ache suficientemente coerente. Sei que tem postagens que merecem correção, mas falta paciência.
Nesses anos todos e com alguma experiência (AL-GU-MA), noto que geralmente o público brasileiro não é afeito nem se sente muito motivado a comentar. Muitos fazem isso esporadicamente. Eu realmente nem teria tempo de publicar se todo mundo começasse a comentar tudo todo dia. Mas entendo esse comportamento.

Se o calendário, o pedido, a moldura, o trabalho, o texto, a informação, se tudo foi feito como um usuário procurou ou quis: "Ótimo! Beijinho, beijinho e txau, txau! Por outro lado, existem até os que nunca agradecem!
Sou grato a Deus porque existem muitos internautas cheios de bom senso, e com energia muito positiva, que sabem usar bem as palavras pra motivar o editor de algum blog, como acontece comigo.

Pelos e-mails e comentários que ja recebi, posso seguramente afirmar que o que realmente motiva uma boa parte do público brasileiro a participar / comentar é o ERRO, o PROBLEMA ou a EXTREMA PEDICURIZAÇÃO DO BLOGUEIRO (transformá-lo numa pedicure):
1 - Dizem: "Não consigo baixar nessa m____! O que faço?" (frequentam o blog há meses e nunca comentam nada. O primeiro comentário deles é parecido com uma reclamação! Até com palavrões!)

2 - Dizem: "Tá dando erro! Vc num pode botar noutro canto não?!" (Quanto carinho! Idem acima. Mas não identificam onde, como, que mensagem recebem). Que vontade dá de se importar??

3 - Dizem: "Meu amor, pode mandar todas elas pro meu e-mail?" (Muito carinho, mas pedicurização total; vou perder minutos gastando energia e tempo enviando só pra uma pessoa??).

4 - Dizem "Quero que você faça isso, o mais rápido possível!" (Deveria perguntar: quanto é? Ou ter pedido meses atrás!). Com raras exceções, não vejo muito mal, pois tem gente que conheceu o blog naquele instante. Contudo, será que eu não tinha nada planejado pra fazer? E as coisas que outros pediram antes? O blog nasceu naquele instante?

5 - Muitos não lêem as postagens, não lêem as informações do blog e fazem perguntas cujas respostas já estão inseridas no próprio blog. Aí quando eu digo procure tal link, tal marcador; recebo até o nome de mal-educado! Repito: não são todos que fazem isso, mas muitos.

6 - Você disse que era assim mas não tá assim! (Eu menti? Não poderia informar o erro sem ser tão seco(a)?)

7 - Enviam a mesma informação de chats pro meu e-mail com letras garrafais (será que estou cego?).

ETC. Há coisas que nem tenho coragem de falar!
Percebem a sensibilidade das palavras?
Então, esperar a participação do público é estar preparado para brisa, ventos alísios, tempestades e furacões. Porque o material que estamos tocando é o coração humano. E aí salve-se quem puder!
Então, não sei se é vantagem, nesses casos, estar faminto pelos comentários dos internautas. Bem, tenho leitores fiéis e até já briguei/arenguei com alguns. Muita alfinetada, mas conseguimos vencer as diferenças!
Tenho notado que o público brasileiro está cada dia mais entendendo de netiqueta (boas maneiras da internet), porém ainda é muito grande o desconhecimento nessa área. Hoje, já encontramos mais pessoas agradecidas, que fazem melhor uso da palavra. Isso é importante, porque o modo como se diz faz toda diferença. Podemos dizer a mesma coisa sem machucar ou deixar a outra pessoa aborrecida. Não quero dizer que seja mal-educado, apenas não conhece bem e nem procura conhecer os modos de participar e comentar em um blog.
Diferentemente, os sites editados em língua inglesa e italiana, por exemplo, geralmente contam com uma participação agradecida, sincera e edificante dos usuários (claro que há exceções). Espero que um dia cheguemos lá.
Então, acho que a gente deve acreditar primeiramente no que fazemos e falamos em um blog. O meu conceito do meu texto, do meu trabalho não deve ser baseado unicamente no que pensam os outros. Esse outro que vê, sente e comenta deve ser bem pesado, bem avaliado: quem é ele (quando ou como vou saber isso?)? O que ele está falando ou querendo falar nas entrelinhas (se é que existem entrelinhas)?
De qualquer forma, uma opinião com bons fundamentos é mais importante do que mil cheias de "pois é", pois pode revelar aspectos e informações que sequer lembramos. Um obrigado, muitas vezes, já é o suficiente, só não se pode esperar que isso seja obrigatório.

7 comentários

  1. concordo acho os comentarios de extrema importancia pra gente continuar o trabalho, eu já tenho o vicio de comentar, eu to sempre por aqui e me perdoe mas eu tb ja deixei de comentar aqui varias vezes!

    big bjão!

    ResponderExcluir
  2. Querido amigo!
    Fico tão feliz porque você existe.
    Quando leio o que escreves é como se conhecesse a minha mente,como se fosse amigo assim de bate papo sabe? e que nunca eu iría precisar
    desenhar o que falo porque você entenderia.
    Eu vivo um ensinamento da minha mãe ¨Se não tiver algo bom para falar fique quieta.¨
    Deus te abençõe todos os dias.Fique com ele.
    Um abraço.
    Sueli Falcão

    ResponderExcluir
  3. Menino, vc é uma figura! rsrsrsrs
    Agradeço por compartlhar as postagens, já salvei mtaaaaaaaaaa coisa linda pra mim. Beijos! DEus o abençoe!

    ResponderExcluir
  4. Nossa... que "dura"... mas vc está certissimo... somos muito ingratos, de "usar e abusar" do seu blog, e nem se dá ao trabalho de comentar... vc diariamente atualiza com molduras magnificas...e nem para comentarmos??? Realmente, temos que mudar nossa postura... peço perdão... mas tenho certeza, que tbm seremos mais participativos a partir de agora... e pra não perder o costume... PARABÉNS pelo blog...

    Abraços

    ResponderExcluir
  5. Descobri seu site essa semana e fiquei encantada com a paciência e bom gosto! Obrigada!!

    ResponderExcluir
  6. Jackson,você escreve muito bem!!Mais uma vez parabéns por esse seu blog!
    Várias vezes eu já me questionei porque postar,quem estará vendo,mais ai comecei a perceber como me sentia bem quando o fazia nem que fosse para mim mesmo admirar,passei então a não dar tanta importância a quantidade de pessoas e comentários.Claro que é muito bom quando você os recebi principalmente se for elogios e incentivos acho que se você acreditar no que está fazendo já é um começo e o resto virá como consequência.

    ResponderExcluir
  7. Um abração a todos; obrigado pelo valioso feedback.

    ResponderExcluir

Para seu comentário ser publicado:
1 - Não faça comentários ofensivos, abusivos, com palavrões, que desrespeitem as leis dos país.
2- Os comentários devem ter relação com a postagem.

 

Estatísticas

Blogger WidgetsBlog statistics Widget For Blogger

Link-Me

Receber atualizações por e-mail

Enter your email address:

Provido por FeedBurner

Seguidores do blog

Mais lidos

Compartilhe