Pesquisar neste blog

EGGLING -TÉCNICA DE CRIAR PLANTAS DENTRO DE OVOS

quinta-feira, 30 de março de 2006


Eggling - técnica manual de origem japonesa, onde é muito popular. Ela consiste na fabricação de ovos com cerâmica branca porosa, no qual se depositam previamente sementes de algumas plantas, entre as quais petúnia, menta, crisântemo que, quando sumetidos a condições apropriadas, se desenvolvem dentro daquele "ovo" (vamos dizer assim). Geralmente, possui medidas de 54 mm x 47,5 mm. O efeito é lindo! Deve ser manuseado com muito cuidado, primeiro, se batendo sem muita força na parte superior e depois pondo-se sobre uma bandeja de terracota. Mais informações em www.eggling.com, site disponível em 6 idiomas.

Se eu errei em algo, por favor, espero sua compreensão, pois não experimentei esta técnica, apenas estou divulgando algo que achei interessante.

http://www.citador.pt/index.php

quarta-feira, 29 de março de 2006

Viagem magnífica por almas humanas trazendo novas respostas e novas perguntas à inquietação humana do conhecimento, de explicação do mundo. Pra mim, é uma biblioteca impressionante do melhor que a mente humana pode conceber em termos de mensagem e sentido. O site se define assim:
A maior base de citações em português na internet!
Um exemplo ROUBADo desta estupenda base de dados:

"A Tempestade do Destino Por vezes o destino é como uma pequena tempestade de areia que não pára de mudar de direcção. Tu mudas de rumo, mas a tempestade de areia vai atrás de ti. Voltas a mudar de direcção, mas a tempestade persegue-te, seguindo no teu encalço. Isto acontece uma vez e outra e outra, como uma espécie de dança maldita com a morte ao amanhecer. Porquê? Porque esta tempestade não é uma coisa que tenha surgido do nada, sem nada que ver contigo. Esta tempestade és tu. Algo que está dentro de ti. Por isso, só te resta deixares-te levar, mergulhar na tempestade, fechando os olhos e tapando os ouvidos para não deixar entrar a areia e, passo a passo, atravessá-la de uma ponta a outra. Aqui não há lugar para o sol nem para a lua; a orientação e a noção de tempo são coisas que não fazem sentido. Existe apenas areia branca e fina, como ossos pulverizados, a rodopiar em direcção ao céu. É uma tempestade de areia assim que deves imaginar. (...) E não há maneira de escapar à violência da tempestade, a essa tempestade metafísica, simbólica. Não te iludas: por mais metafísica e simbólica que seja, rasgar-te-á a carne como mil navalhas de barba. O sangue de muita gente correrá, e o teu juntamente com ele. Um sangue vermelho, quente. Ficarás com as mãos cheias de sangue, do teu sangue e do sangue dos outros.
E quando a tempestade tiver passado, mal te lembrarás de ter conseguido atravessá-la, de ter conseguido sobreviver. Nem sequer terás a certeza de a tormenta ter realmente chegado ao fim. Mas uma coisa é certa. Quando saíres da tempestade já não serás a mesma pessoa. Só assim as tempestades fazem sentido.

Haruki Murakami, in 'Kafka à Beira-Mar'
"

Nenhuma beleza víamos, para que o desejássemos!

terça-feira, 28 de março de 2006

"Nenhuma beleza víamos, para que o desejássemos", assim se refere a Bíblia profeticamente a Jesus em Isaías 53:01. Quem se interessa pelo feio? O feio é como um ruído perturbador que ainda teima em sobreviver e reivindicar direitos. E, deste modo, rendo minha humilde homenagem, curvando minha cabeça, a estas três personagens da vida real. A do meio é minha mãe, dona Maria José, do lado direito dona Terezinha, e do lado esquerdo dona Geralda. A do meio, minha mãe, saiu de casa ainda menor, tendo como bagagem um saco plástico, o vestido sobre a pele, um chinela rústico e por dentro uma vontade inabalável de sair de sua situação de pobreza. E conseguiu! Lembro-me que ela chegou a ser vaiada por seus próprios vizinhos porque seu único vestidinho tinha desenhos de cajuzinhos e castanhas. Eles chegaram até a jogar pedras e sair correndo atrás dela dizendo: vamos derrubar os cajus! Minha mãe correu desesperada para escapar das pedradas. Em certa hora ela perguntou a Deus: "Senhor, tu estás vendo?"Minha mãe até chora quando se recorda disto. Hoje, possui uma humilde lojinha de roupas artesanais e chegou a vestir seus próprios malfeitores. Dona Geralda, por sua vez, vive louvando e cantando a Deus, está sempre alegre e já enfrentou fome, sede, desemprego, como muitos brasileiros e milhões pelo mundo. Não é este um grande feito? E não decaiu de sua esperança, antes está firme em seus ideais. Esbanja saúde, quando o destino lhe deu todos os motivos para não tê-la. Em suas mãos e pés há marcas de sofrimento e trabalho, porém por dentro continua jovem e encara a realidade de frente. Já Dona Terezinha continua enfrentando muitos obstáculos financeiros, mas recentemente e com muito esforço conseguiu realizar o sonho de ter sua casa própria. Tristeza, desespero? Não! Nem pensar, navegar é preciso. E vivem normalmente, sorrindo e chorando, envelhecendo e se renovando. Nenhuma beleza se vê nelas para que sejam desejáveis em Caras (uma revista famosa no Brasil por ostentar o luxo, o glamour a felicidade dos famosos e ricos), no Jornal Nacional, para serem temas de filmes hollywoodianos. Nenhum beleza para que esta foto desperte algum interesse em alguém. Elas nunca se venderam por qualquer coisa nem se prostituíram nem mendigaram, sempre acreditaram no trabalho, no caminho mais longo e mais difícil. Dignidade. Não são belas como a Barbie, um estereótipo americano de beleza, de mulher, se é que aquilo é mulher ou ser humano. Não têm medidas de miss, de modelo e todas estão fora dos padrões mais básicos de vestuário. Em seu favor sei que são mulheres reais, com problemas reais, soluções reais e com vidas reais, que não têm necessidade de esconder escândalos e mentiras. Tudo muito simples, muito claro, muito verdadeiro. Eu curvo minha cabeça respeitosamente e com muita alegria.

Imaginação é criar robots com objetos diversos

domingo, 26 de março de 2006

VLADSTUDIO - Free wallpapers & more (Papéis de parede grátis & mais)

Eu e minha casa servimos ao Senhor

A imagem original dessa postagem não tinha essa mensagem, a qual acrescentei por achar muito pertinente. Afinal, um cãozinho orando é algo sensacional.
Que seja assim: "Eu e minha casa servimos ao Senhor".


Lamborghini Murcielago LP640 2006

Simplesmente lindo este Lamborghini Murcielago LP640 2006. Um espetáculo digno do Cirque Du Soleil. Um verdadeiro "desperta o sonho de consumo que há em ti!". Pra mim vai ficar só no sonho mesmo. !!!!!!!!!!!640 cavalos; acelera de 0 a 100 km/h em apenas 3,4 segundos; motor V12; velocidade máxima acima de 340 Kmh!!!!!!!!!

Metroarte - Urbanarte!

sábado, 25 de março de 2006

Metroart - de metro (metrô) + art (termo inglês para arte). Não sei se o termo já existe em nossa língua, mas olhando o site: http://mic-ro.com/metro/metroart.html, é possível entender essa preocupação de unir as questões de metrovias com arquitetônica artisticamente bem elaboradas. O Brasil foi destaque com o sistema metroviário de São Paulo. Viajar de metrô experimentando, sentindo, vivenciando todo poder de criação da arte e arquitetônica. Ah! Se fosse assim, a começar das favelas, da minha casa, do ônibus, das calçadas! Vidarte. Urbanarte!

Fragmento da mensagem A alegria da Reconciliação, de Paulo Roberto Souza

Texto na íntegra:

"'pois que Deus estava em Cristo reconciliando consigo o mundo, não imputando aos homens as suas transgressões; e nos encarregou da palavra da reconciliação' (2 coríntios 5:19).
Frederico, O Grande, rei da Prússia por 46 anos, encontrou um de seus antigos generais em uma determinada cidade por onde estava passando. Havia entre eles uma desavença que já durava longo tempo. Quando viu o rei, o general o saudou com elegância e respeito, mas Frederico virou-lhe as costas.
"Estou muito feliz que Sua Majestade não esteja mais zangado comigo," falou serenamente o general. "Como assim?", respondeu Frederico. "Porque Sua Majestade jamais virou, em toda a vida, as costas para um inimigo." Foi uma declaração ousada, mas que provocou uma reconciliação!
Às vezes guardamos ressentimentos que duram anos e anos e que nenhum bem traze à nossas vidas. As mágoas armazenadas no coração servem apenas para minar nossas forças, fomentar amarguras e privar-nos da alegria de um viver em paz.
Quando expulsamos os sentimentos negativos e mesquinhos de nossas vidas, abrimos espaços para hospedar em nosso interior tudo que há de belo e propício para a realização de nossos sonhos de conquistas. Expulsamos o ódio e damos boas-vindas ao amor; mandamos embora as mágoas que nos frustram e abrimos os braços para receber o perdão que nos liberta e edifica, damos adeus às tristezas e a alegria assume o posto desocupado. Deus ocupa o Seu lugar em nossos corações e o mundo que antes governava agora fica olhando de longe.
Grande regozijo experimentamos quando envergonhamos o inimigo de Deus nos atos de reconciliação. Sentimo-nos mais leves e felizes todas as vezes em que encontramos alguém com quem temos um problema de relacionamento e, dando o primeiro passo, pedimos perdão ou perdoamos. Um espírito de contenda não pode resistir a um gesto de amor. Um sorriso, um abraço ou mesmo uma saudação amiga já é suficiente para derrubar os muros da inimizade.
Você guarda algum tipo de rancor de alguém? Busque essa pessoa e ofereça a reconciliação. Você vai ver o quanto isso lhe fará bem!"

Admirável Mundo Novo

Quanto mais nos informamos sobre a internet e seu crescimento avassalador, com suas conseqüentes exigências de técnicas e adaptação à realidade mais nos defrontamos com pegadas ainda mais desconhecidas e gigantes do que a dos dinossauros. Apesar de planejável, o futuro parece estar vindo cada vez mais rápido. Lembro-me quando minha mãe chegou em casa chorando por não conseguir acertar o que exigia um caixa-rápido no Banco do Brasil. Ela ficou constrangida por ter que pedir ajuda repetidamente e acabou desistindo. Várias pessoas com as quais tenho conversado sobre concursos públicos expressam o horror pelas questões que envolvem informática, internet, Office 2003 (Access, Word, Excel), Windows XP, entre outros. A Informática é, hoje, para os concursos públicos o que Química é para o 2º grau e para o vestibular: algo de outro mundo...mundo este que está à nossa volta e temos que nos render a ele: conhecimento e domínio de programas de computador. Segundo dados da BBC Brasil, metada da comunicação escrita da Grã-bretanha é feita por e-mail, seguido de celular com 29% e apenas 13% é feita com os tradicionais papel e lápis. Isto em média, as gerações mais antigas tendem a utilizar os meios mais tradicionais, os mais jovens só se utilizam da comunicação escrita em 5% dos casos. Para diminuir o descompasso entre a rapidez da entrada de mecanismos tecnológicos e a vagarosidade de acesso aos mesmos, as instituições políticas do Brasil, por exemplo, insistem em ostensivas campanhas de inclusão digital. Durante séculos, boa parte da nação vive num pobrerio absurdo e nunca se falou convictamente em inclusão literária, inclusão social. Quantas bibliotecas públicas existem em cada bairro? ou mesmo em cada casa? As bibliotecas universitárias têm um índice de renovação e de disponibilidade de livros incompatível com a real necessidade dos estudantes. Isto pra mim se assemelha muito aos fatores e interesses que culminaram com o fim da escravatura, para dar início a um novo modelo de economia global, com mão-de-obra assalariada, livre concorrência. Tudo muito bonitinho, afinal vivemos cercados de heróis, como os americanos no Iraque defendendo a soberania mundial contra o terrorismo.

Blogs temáticos de Portugal

Hoje, navegando pela blogosfera portuguesa, matei minhas saudades dos blogs que lá frequento, principalmente, do amorizade.blogspot.com, de Jacky. Através dele descobri uma série de blogs temáticos, por ela chamado de voyeur, lincados abaixo:
Este último ao lado de sanitas.blogspot.com foram ao meu ver os melhores, por apresentar um conteúdo que identifica muito da personalidade humana. Sempre que se vende ou se compra uma t-shirt (camisa de algodão) se vende também uma ideologia, um pensamento, um ponto de vista, uma parte do nosso ser que se quer mostrar, colocar em ação, influenciar no outro, dizer o que somos ou o que defendemos. No caso da sanita (sanitário), mostra-se o que levamos para o banheiro em termos de ambientação e higiene. Assim como qualquer outro lugar da casa, existem diversas opções de estruturação do ambiente, de modo a que fique o mais agradável possível. Lembrando que a satisfação das necessidades mais elementares pode até se tornar mais fácil com um ambiente que transmita conforto, higiene, beleza. Não é o que se dá muitas vezes quando adentramos em um banheiro sujo, olhamos justo para o sanitário e parece que toda vontade de satisfazer aquela necessidade fisiológica passa e saímos de lá com pressa e fugindo? Fiquei até com vontade de fazer um tshirtsparaíba.blogspot.com que seria uma vitrine do que se vende e se expõe nas camisas de algodão da minha amada Paraíba. Sonhar jamais será proibido!

Blessed (Hillsong Australia) - Benditos

sexta-feira, 24 de março de 2006

Música: Blessed Artista:
Hillsong Music Australia
Álbum: Blessed

Tradução: Eduardo de Menezes da Silva


Blessed are those who dwell in Your house/ Benditos são aqueles que habitam em Tua casa
They are ever praising You/
Eles estão sempre Te louvando
Blessed are those whose strength is in You/ Benditos são aqueles cuja força está em Ti
Whose hearts are set on our God /
Cujos corações estão em nosso Deus
We will go from strength to strength/
Nós iremos de força em força
Until we see You face to face/ Até Te vermos face a face
Hear our prayer/
Ouça a nossa oração
O Lord God Almighty/
Ó Senhor, Deus Todo-Poderoso,
Come bless our land/
Vem abençoar nossa terra
As we seek You, worship You/
Assim como nós Te buscamos, Te adoramos
For You are holy/
Pois Tu és Santo
For You are holy/
Pois Tu és Santo
For You are holy Lord/
Pois Tu és Santo, Deus

AUXÍLIO À PESQUISA: Tradutores Online


O site clubedoprofessor.com.br disponibilizou uma página em que o internauta pode traduzir os textos em idiomas estrangeiros das páginas de internet. A idéia foi criar atalhos para a tradução em quatro bons serviços gratuitos de tradução, como o do Google, AltaVista e Worldlingo, alguns dos mais conhecidos tradutores online do mundo. O que é de extrema utilidade para quem só vê símbolos sem sentido ao acessar páginas escritas em inglês, japonês, russo (escrita cirílica), espanhol, italiano, alemão e por aí vai. Essa necessidade se deve, sobretudo, ao fato de que muitos assuntos solicitados na internet, por exemplo, em pesquisas de imagens e/ou informações no Google, Yahoo e outros buscadores, só têm melhores resultados se a pesquisa for feita em idiomas estrangeiros, principalmente, de língua inglesa. Quanto mais idiomas forem pesquisados, melhores os resultados da pesquisa. Geralmente, há duas opções básicas: ou se traduz a página inteira de internet (o que é mais vagaroso) ou partes de texto que contêm a informação mais importante, porque agiliza satisfatoriamente. Neste segundo caso, basta selecionar com o mouse o texto estrangeiro e colá-lo no espaço apropriado. No primeiro caso, basta colar o endereço do site. A precisão da tradução deixa um pouco a desejar, mas o texto geralmente fica bem compreensível. Em www.bussolaescolar.com.br/dicionarios.htm há listas de serviços bem variados não só dos tradutores, como também de dicionários, o que para PESQUISA é fundamental. Certamente, existem os softwares que exigem um certo dispêndio, mas os tradutores online são "gratuitos" (exceto pelo fato de que exigem conexão à internet e há o consumo de energia - Ah! Essa lenda de internet gratuita!).

Made me glad (Fez-me feliz)

quinta-feira, 23 de março de 2006

Música: Made Me Glad (Fez-me feliz)
Artista: Hillsong Music Australia
Álbum: Blessed
Tradução: Eduardo de Menezes da Silva
Fonte: http://www.supergospel.com.br/letras/traducao.php?letra=6129

I will bless the Lord forever / Bendirei o Senhor pra sempre
I will trust Him at all times/ Confiarei Nele em todo tempo
He has delivered me from all fear/ Ele me libertou de todo medo
He has set my feet upon a rock/ Ele colocou meus pés sobre uma rocha
I will not be moved/ Eu não serei removido
And I’ll say of the Lord/ E eu direi do Senhor
You are my shield/ Tu és meu escudo
My strength/ Minha força
My portion/ Minha porção
Deliverer / Libertador
My shelter/ Meu abrigo
Strong tower/ Torre forte,
My very present help in time of need/
Meu socorro bem presente em tempos de necessidade
Whom have I in heaven but You/ A quem tenho eu no céu senão a Ti
There’s none I desire besides You/ Não há quem eu deseje além de Ti
You have made me glad/ Tu me fizeste feliz
And I’ll say of the Lord/ E eu direi do Senhor

É lícito o crente possuir a riqueza, mas não a riqueza possuir o crente


Texto Áureo: Lucas 12.15b. Verdade Prática: É lícito o crente possuir a riqueza, mas não a riqueza possuir o crente. Época do Evento: 28 d.c. Local: Caminho da Galiléia para Jerusalém Texto Bíblico Base: Mateus 19.16-30; Marcos 10.17-22; Lucas 18.18-23. LIÇÃO 3 INTRODUÇÃO - Esta passagem aparece na sua íntegra nos três evangelhos sinóticos. Isto mostra que se trata de um assunto que requer atençaõ especial. Esta narrativa causou grande perplexidade na Igreja primitiva por duas razões principais: 1) na concepção judaica, a riqueza era sinal de benção de Deus; 2) a entrada do rico no reino de Deus ficou muito remota. I. PROCURANDO A PESSOA CERTA 1. A ansiedade da alma humana: O jovem era rico. Lucas diz que era "um homem de posição" (Lc 18.18). Mas havia nele um vazio na alma, aquela lacuna que nem mesmo a sua riqueza preenchia, senão Jesus. Ele se dirigiu à pessoa certa, na hora exata e fez a pergunta autêntica, sobre a salvação: "Bom Mestre, que farei para herdar a vida eterna?" (Mc 10.17). Cristo respondeu: "Por quer me chamas bom? (Mt 19.16,17). O Mestre não se recusou ser chamado de bom. O título de "bom" não era dado a qualquer pessoa, nem mesmo aos reverendos rabinos. Era uma proibição expressa no Talmude. Podemos parafrasear a pergunta de Jesus da seguinte forma: "Crês que há algo além de humano em mim, e julgas que me pertence o título de "bom", e isto só é atinente ao Senhor? Somente Deus é bom, e Jesus também. Logo Ele é Deus. Esta grande verdade está explícita em toda Bíblia (Is 9.6; Jo 1.1; 10.30; 20.28; Cl 2.9; 1 Jo 5.20). 2. Guardando os mandamentos: Estes mandamentos (Mt 19.19,20) são uma referência ao Decálogo (Ex 20.2-17; Dt 5.6-21). Os rabinos dividiram-se em dois grupos distintos: os que tratam do relacionamento do homem com Deus, os três primeiros; e os sociais, que se referem ao relacionamento do homem com o seu próximo, os citados por Jesus (Mt 19.18,19). O sábado pertencia a qualquer um destes grupos. Os três primeiros mandamentos estão omissos nesta listagem (Ex 20.2-7), mas eles estão embutidos no versículo 17, e o sábado ficou de fora (Cl 2.14-16). 3.O convite para seguir a Jesus: Ainda faltava uma coisa para o jovem rico (Mt 19.20,21). Ele guardava os mandamentos, mas a lei não justifica o pecador; antes o condena (Cl 2.14). Por seu intermédio, vem o conhecimento do pecado, e ela não pode salvar o pecador (Rm 3.19,20). O Talmude afirma que é possível o homem guardar os dez mandamentos. Mas a Bíblia diz que basta violar um deles, para que alguém seja culpado de todos (Tg 2.11). Não é o fato de se guardar as ordenanças que se tem direito de obter a vida eterna. Ela consiste em se conhecer a Jesus (Jo 17.3), e crer em sua morte expiátoria (Rm 3.21-25). A salvação é pela fé (Ef 2.8-10; Tt 3.5). Estas coisas só são possíveis quando seguimos Cristo. Mas a idéia de renunciar a riqueza, para conquistar um tesouro no Céu, entristeceu o jovem rico, e, por isso, se retirou. A vida eterna vale mais que todo o ouro do mundo (Mt 6.20; 16.26; Lc 9.25). A atitude daquele mancebo revelou ser ele um prisioneiro dos bens materiais, tanto como muitos ricos de hoje ( 1Tm 6.10-17). Fonte: Revista Lições Bíblicas. Editora: Casa Publicadora das Assembléias de Deus - CPAD. Edição: 3º Trimestre de 1994 Tema Central: Evangelhos Sinóticos: A perfeita Harmonia. Comentarista: Esequias Soares da Silva Páginas: 12-16.
Créditos: John Carlos Vasconcelos Fernandes
http://br.groups.yahoo.com/group/Assembleia-de-Deus-no-Brasil/

Montage a google - Crie imagens a partir do Google

Excelente idéia: montar imagens a partir de imagens indexadas pelo google. O internauta digita uma palavra chave. No site vai aparecer esta mensagem "Enter keyword(s) for a image search"
(Tradução: Ponha a(s) palavra(s) para uma busca por imagens).
No quadrado digite a palavra-chave. Em alguns segundos, a pesquisa estará concluída. Então, aparecerá uma mensagem em inglês: 2 - Found 20 matching images (Tradução: Encontradas 20 imagens correspondentes). Agora é hora de fazer a montagem: 3 - Create montage (criar montagem). 4 - Finished (Finalizado). Existem mais 2 opções avançadas (Advanced Options) que não farão muita diferença, a não ser no caso de se querer usar imagens no tamanho original da busca, pois leva muito mais tempo. A idéia foi do fotógrafo Grant Robinson, que por sugestões de usuários também fez um jogo, baseado em palavras em inglês, para a partir das imagens se descobrir quais são as palavras. Ainda acerto uma. A imagem acima foi feita com este recurso, com a palavra-chave chow chow, uma linda raça de cachorro. No site http://grant.robinson.name/projects/montage-a-google/ existe uma galeris de imagens criadas com este recurso. O recurso, apesar de parecer uma brincadeira, pode ser utilizado para criar backgrounds (fundo de páginas de internet, de montagens, etc), texturas para uso em designer, tipografia, jornalismo, trabalhos escolares, cartões, etc. Isto sempre depende da criatividade do usuário. O processo, ao meu ver, ainda precisa de melhoramentos, pois as imagens se tornam repetitivas, pois, no momento, só cataloga um máximo de 20 imagens. A imagem é montada no formato flash. Para converter a imagem , digamos, no formato jpeg, o mais usado na Internet, clique na tecla Print Screen, localizada na parte lateral-direita do teclado e em algum programa de edição de imagens, por exemplo o excelente Xnview, use o controle de colar (vá em arquivo e localize o comando colar ou use Ctrl+V). O comando Print Screen é utilizado para capturar, gravar a imagem atual do monitor, seja ela qual for. É importante saber recortar a imagem.

I adore you (Eu te adoro)

quarta-feira, 22 de março de 2006

I Adore
by Hillsong United
album: Blessed (2002)

The universe is at Your feet
Gives You praise
Evermore
The stars will light the sky for You
Always
God be praised
And we sing
The Lord is on high
The Lord is on high

I adore You
I adore You
And there's none that compares
To Your majesty O Lord
I adore You
I adore You
And I stand
In wonder of Your love

We will crown You
King forever
Living Saviour
Jesus Redeemer
Lord of Heaven
Robed in majesty
Crowned in glory
Creation adores You

Holy Holy
God almighty
And forever the Lord is exalted
Hear the angels
Shout His anthem
Ever-living
God we adore You

I Adore You (tradução)
Eu adoro
Hillsong Music Australia

O universo está aos Teus pés
Te dá louvor
Pra sempre
As estrelas iluminarão o céu pra Ti
Sempre, Deus seja louvado
E nós cantamos
O Senhor é exaltado
O Senhor é exaltado

Eu Te adoro
Eu Te adoro
E não há nada que se compare
À Tua majestade, ó Senhor
Eu Te adoro
Eu Te adoro
E eu permaneço
Na maravilha do Teu amor

Nós te coroaremos
Rei pra sempre
Vivo Salvador
Jesus Redentor
Senhor dos Céus
Vestido em majestade
Coroado em glória
Criação Te adora

Santo, Santo
Deus Todo-Poderoso
E pra sempre o Senhor é exaltado
Ouça os anjos
Cantando este hino
Soberano
Deus, Te adoramos

A escrita morta

terça-feira, 21 de março de 2006

Escrever. O Big Brother é escrito na ótica comercial dos seus produtores. Os personagens são ainda mais limitados e indefinidos que os da novelas, porque se vêem na obrigação de não serem o que eles são realmente. Isso se explica porque se trata de um jogo no qual o público pode e deve ser o maior juiz, com o poder de tirar, fazer permanecer e ganhar quem eles entenderem ou forem levados a entender que é o "melhor". Não sei se este melhor quer dizer o mais sofrido, mais bonzinho, mais bonito, mais simples, mais justo. A escolha é tão...ética...
Julgar o melhor ator seria fácil, contudo julgar quem é mais ou menos ele mesmo enquanto-ser-que-se-mostra, enquanto-ser-que-precisa-agradar estética e/ou como pessoa é como julgar produtos numa linha de montagem fabricados em série. Robôs programados para uma certa função: divertir o público. Atores zumbis, humanos mortos. Assim, a estória é escrita em várias mentes, e o público pode tirar os bandidos quando achar conveniente. Neste aspecto, o público se endeusa, tem a poderosa arma do voto nas mãos. Todo cuidado é pouco para não mostrar o lado perigoso do ser humano que agride, que falha, que tem vaidades, que é cheio de invejas, de auto-promoções. O que é mais humano, o ser falho, fica cada vez menos evidente e paradoxalmente visível. Vão ficando os heróis que simbolizam o que a nação daqueles expectadores fiéis tem por merecedora de sua audiência. Infelizmente, o que seria das tramas sem os vilões? Que graça teria? Toda vitória ganha renhidamente contra inimigos atrozes tem sempre mais valor e mais sabor.
Não é diferente com o que se ensina, se prega, se vive e se escreve. A verdade enquanto-se-mostra defende atitudes e princípios que penetram as raízes mais profundas do coração humano. A narração do amor, das virtudes perturbam os pobres expectadores, cativados pela mensagem vivificadora, contudo, no dia a dia, o próprio autor vai derretendo, a letra derrete, a aparência que se mostrava tão sedutora cede lugar às rugas. O que é aparente mostra sua face real. A velhice de sempre dos atos, do jeito de ser e tratar, que nada acrescenta, não corresponde a tudo aquilo que procurou se defender.
No mesmo instante em que eu disse que amo, machuquei profundamente. Quando falei da importância do perdão, não me arrependi dos erros, não esqueci dos males que me fizeram, não absolvi ninguém das minhas queixas. Tudo derreteu!

Devocionais Online

"O que desejas?" É o que pergunta a Internet. "Eu te concederei": a maior parte dos sites quer dar respostas, mesmo que seja através de outras perguntas, porque mesmo nosso questionamento pode estar embasado em gases e pântanos, não em pedras sólidas. Mesmo que a NET não tenha poderes de um gênio da lâmpada ou ainda não querendo se igualar a Deus, se de algum ângulo isto já não estiver embutido em alguma prática diária, muitas pessoas alimentam intensamente esta expectativa e ansiedade de encontrarem tudo o que desejam, esperam e precisam na NET. Certamente faz sentido, mas não de modo pleno e com perigosas ressalvas.
Sem querer responder "o que desejas?", há também os trabalhos que se desejam úteis, são feitos mais para serem utilizados como instrumentos de reflexão, o que também é uma busca, porém muito mais próxima do que os militantes digitais procuram e podem atender. É o caso dos Devocionais. Apesar do sentido muitas vezes pejorativo que alguns termos derivados de devoção são interpretados, inclusive no Houaiss, Michaellis e Aurélio, o que pode não estar distante da realidade, o devocional pode ser um ato feito dia a dia, com prática de reflexão e oração. Se alguém deseja uma rápida palavra bíblica, quer ler a bíblia ou algum texto que possa lhe iluminar em algum caminho, descaminho de sua vida, ou mesmo para aprender uma nova forma de ver a mesma coisa que todo dia se vive ou se vê, por exemplo, pode recorrer aos inúmeros devocionais online. Se, neste momento, não vem à mente nenhum versículo bíblico, não há por perto um livrinho com exatamente aquilo que alguém precisa. Ou a mão mergulha na Bíblia e parece que nada faz sentido por conta da perturbação, pode recorrer aos devocionais online. Os devocionais, no meu pouco conhecimento, são uma coletânea de textos de um ou mais autores que apresenta, geralmente, um versículo-chave da Bíblia, acrescido de uma explicação ou reflexão. Neste mesmo minuto o Google registra 57 mil páginas indexadas para a busca "devocional online", o que dá uma idéia de sua popularidade na Internet. Pessoalmente, gosto muito da sessão "Dose de Ânimo", com textos traduzidos de Max Lucado, um dos expoentes da literatura evangélica atual. Existem outros que a referência googleiana indicará, caso haja curiosidade. A escolha do caminho é sempre pessoal.

Jejum de palavras

segunda-feira, 20 de março de 2006

Neste mundo verbalista, tentar compreender o silêncio, meditar sobre tudo o que é dito e, principalmente, no não dito, é um passo a mais na busca por uma convivência mais pacífica conosco mesmo e com os outros. Só uma palavrinha a menos, e um incêndio pode ser evitado. Um segundinho a mais pra medir o que está saindo de dentro do coração. Cada palavra é um parto: será um míssil? um urubu? um beija-flor, um favo de mel? Uma mosca? Um piolho? Uma cobra ou escorpião? Para qual lente o coração está trabalhando? Que música há em nosso coração agora? Que música toca entre um pai e um filho, entre um irmão e outro, com aquele insuportável ser que trabalha, estuda, convive com outro? Jejuar palavras é jejuar do eu, desinchá-lo, é deixar o amor nos ensinar a silenciar, é deixar o Verbo falar para nós. O amor vê as coisas de modo diferente, por ângulos que nossa consciência talvez ainda não tenha se dado conta. Há mais no não-dito do que no dito. Aprender o que o silêncio esconde em si mesmo, onde ele está no que as pessoas falam, como ele mascara e oculta os receios e medos, os ascos. Só uma palavrinha a menos e tudo estará seguro, um segundinho a mais antes do veneno. E estará garantido o banquete da amizade, da paz, da continuação de um bom relacionamento. Só um segundinho a mais, só uma palavrinha a menos...

Quem conhece a Realidade

sábado, 18 de março de 2006

O fragmento abaixo faz parte de uma reflexão do Rev. Caio Fábio. Tomei conhecimento dela no grupo Assembléia de Deus do Yahoo. Logo eu que me esforço tanto por entender a realidade, sabendo que dificilmente conhecerei de verdade. A própria bíblia diz que nós conhecemos em parte, mas quando vier o que é perfeito conheceremos por inteiro.
"Somente Aquele que disse “Eu sou a verdade” é que pode dizer que conhece toda a realidade.
Quem jamais conheceu a realidade?
O que nós chamamos de realidade não existe a não ser nos nossos olhos. Porém, se pudesse ser vista por todos os ângulos e variáveis que envolvem a mesma coisa que chamamos de realidade, a nossa percepção de realidade sairia envergonhada pelo desvendamento de sua certeza-do-real como sendo mera e burra arrogância fantasiosa.
O melhor mandamento acerca da realidade é aquele que manda não julgar a ninguém. Assim, se afirma que a maior realidade possível ao homem é a certeza que ele pode ter de não conhecer a realidade.
Uma única mudança de humor transmuda e desfigura o mundo inteiro diante de nossos olhos, ou, paradoxalmente, o torna belo e desejável, apesar de tudo."
Para ler o resto visite www.caiofabio.com, procure o canal Reflexões e escolha o texto: "Quem conhece a Realidade". Tem diversos estudos e reflexões bem úteis.

O Amor é tudo

O AMOR É TUDO

Ozéias de Paula

No princípio era o verbo, e o verbo era Deus
E a natureza já existia nos planos Teus
Desde a maior estrela a mais singela flor
Trançando leis tudo Ele fez por Teu amor
O amor é tudo, feliz é quem amaaaa
Não há barreiras para romper suas chamas
O amor é bálsamo na triste liiiida
O amor é mais o amor é paz, o amor é vida
O amor supera o ódio, através do Teu poder
Tudo ele pode tudo suporta tudo ele crê
Amai-vos uns aos outros Conforme Eu vos amei
Andai na luz, disse Jesus o Rei dos Reis!

Cuidado com teus pensamentos

Essa imagem é impressionante. A primeira ideia que vem à mente é a de riscos, perigos, principalmente, com o que fazemos. Muitas vezes, é comum que os nossos problemas sejam originados e alimentados por nós mesmos, tanto na vida física, quanto na internet.



Por isso:
Cuidado com o que pensas, com o que imaginas, com o que sai de tuas mãos!

Um brinde à loucura

Um brinde à loucura

Loucura. Como defini-la sem ferir, sem constranger, sem ter a sensação de coisa absurda? Sem olhar pro mundo em nossa volta e não ficar perturbado e confuso com o destino da humanidade e até de nós mesmos? Parece paradoxal, mas esta palavra me traz mais prazer do que pavor. Uma grande loucura por amor, como é fascinante, um sacrifício sem igual, tal qual eu me lembro de um ser estranhíssimo perguntando à uma capitã de astronaves se ela faria qualquer coisa por sua tripulação, ela respondeu que sim e naquele instante ele a matou para que esta servisse de alimento a seres sanguinários que, naquele instante, se alimentariam do seu sangue e sua tripulação, assim, escaparia. Loucura, quando Deus entregou seu filho inocente e imaculado por criaturas que o rejeitariam e que erravam e praticavam toda sorte de maldades sem parar e com toda vontade do coração. Loucura, quando você madruga com um amigo seu para que ele não se sinta só e, chegando em casa, apanha, ouve toda sorte de críticas dos seus pais ou de quem convive com você, é castigado, paga um alto preço, que se não fosse o coração, o seu coraçãozinho mandando, de modo algum passaria por aquele sofrimento. Já fez uma grande loucura na sua vida? Vendeu tudo o que tinha para ver o show de um artista que compôs a música que é o retrato fiel das aspirações da sua alma? Eu não recomendo tal atitude, mas na vida isso pode acontecer.
Loucura! Amor cego! Imparcial! Capaz de tudo! De perder a própria vida!? Colocar-se na frente de um tanque querendo detê-lo por amor a uma causa que você ama? Não usar armas por amor verdadeiro à paz! Retirar das ruas o cachorro mais miserável, pulguento e nojento que a natureza já concebeu por ouvir o seu choro? E seu coração contrariar todas as suas vaidades, podendo você comprar os animais de pedigree mais nobre! E se apegar apaixonadamente àquele animal sem beleza alguma?!
E quanto àquele que mais te maltratou, desprezou, espezinhou, àquele cujas ações você sempre reprovou todas? Como a Bíblia diz: que morrer por um bom...é fácil! mas por uma pessoa má, por um bandidão, por um completo canalha, por alguém sem nenhum préstimo, feridento, que não fala, não ouve, fede, dessas pessoas que parecem gosmar por todos os poros. Ah! Quem tem este amor louco?!
Lembro-me de uma bolsa que fiz para vender numa lojinha. Nunca um objeto foi tão vaiado. Era um ramo de flores coloridos, com vários rabiscos de tinta ao redor. Certa vez, ele foi vendido; no outro dia, a compradora voltou nervosa, dizendo que todo mundo questionou por que aquela bolsa, e, deste modo, a trocou. Lá estava ela, a ordinária bolsa de novo. Eu dizia até rindo: será que um dia alguém vai comprar essa coisa? Não obstante etas coisas, eu fiquei tão familiarizado com sua presença. Ela rendeu várias estórias engraçadas. Certa manhã, ela não estava mais lá. Havia sido comprada por uma estrangeira que olhou as bolsas uma por uma, mas só se agradou dela. Hoje, ela está longe, mas fez história. Há tantos detalhes que fazem com que a gente se apegue a coisas aparentemente sem valor, parece loucura pra alguns. Só quem sente pode dizer que é algo que não se pode definir.
Um brinde à loucura! A própria Bíblia diz que a loucura de Deus é mais sábia do que a sabedoria dos homens.

GOLDULA

Estão, com raras exceções, todos eles no mesmo caminho físico. Eles e elas. Minha geração não se cuida? Todos com barriguinha. Vejo minhas fotos, mais da metade do que sou fisicamente não me agrada, se pudesse faria uma recauchutagem geral. A era digital ajuda muito: estou sempre com o corpo encolhido em uma cadeira, comendo, digitando, teclando, jogando ou sem movimentos. Por horas assim. O que fazer? Odeio esforços, adoro sabores, odeio pensar, adoro sentar e encontrar tudo pronto no Google, na calculadora, nos livros. Encontrar os distantes e os desconhecidos, os escondidos, os reprimidos, os doidivanas, todos em um só lugar. Procurar-me, perder-me. E quero notícias dos meus inimigos, quero saber se estão pior do que eu. Sempre achamos que o outro está melhor. Até eles estão engordando! Mas, não suporto ver tanta foto de gente conhecida minha, da minha época, todos engordando. Meus irmãos engordando. Eu gor-DOOO. Pessoas que vislumbrei tão desejáveis: tudo gordinho. Todos fora do padrão comercial de beleza. Do padrão que acalma. Do padrão vendido nas lojas! Ai! Essa saliência da barriga! Esta forma arredondada da barriga! Os atos e artifícios por não mostrá-la. E a foto gritando: GORDURA! O "R! chega a virar "L": GOLDULA! É MENTILA! Não!Naum! Nãoooooooooohhhhhhh! É possível viver numa boa assim? Se quase tudo o que se associa à imagem do gordo é no sentido de ridicularização, ironia, sarcasmo, referencialidade negativa? O que pode nos propor, de repente, o Fat Family, assumidamente gordos, promocionalmente gordos, em dose família? Eu acho uma fofura vê-los cantar e dançar cadenciadamente. Dá vontade de ser um pouco mais gordinho também! Para aquele momento!

Que imagem retrataria sua vida, hoje?

sexta-feira, 17 de março de 2006

Não sei quanto a você, mas olhando o relevo acidentado de Israel, fiquei pensando nos caminhos dificultosos, cheios de altos e baixos que cada vida deve ter passado ou está passando. Certamente, queria uma Amazônia como jardim, um Oceano como banheira, e um Burj Al Arab Hotel como habitação, mas a vida possui íngremes caminhos por onde muitas vezes devemos passar. Mas, lembre-se de quem está ao seu lado. Em todo caminho, veja quem está com você. Mesmo que sozinho, estas solidão é com Deus ou sem Deus?

Maturidade II

quinta-feira, 16 de março de 2006


Se eu voltasse a pensar como uma criança, a sentir o mundo como uma criança, eu ergueria meus braços para cima, eu brincaria até desfalecer, se isto fosse possível: cansar-se. Sei que seria um analfabeto de letras, de sentimentos, de mim mesmo em todos os sentidos. Não estaria pronto pra sofrer, não teria independência, antes buscaria os cordões umbilicais, seria egoista e bobinho. E eu não chatearia as pessoas por ser bobão. Ou por soltar um...punzinho. Ou por comer sem a menor educação. Todo instante haveria novidades, mesmo num grãozinho de areia. Totalmente emocional. Inocência. A lagoa estaria sempre azul, ainda que mudasse de cor diversas vezes. Eu mergulharia num tonel e estaria no meio do Pacífico parando embarcações e assoprando as tempestades.
Bom é que o destino lhe seja generoso e sua criança não se perca, que não se desencante com a vida, com as pessoas, que sorria demais e alto, que festeje, adore brincar, passear, olhar tudo em volta. Que seja inquieta e descubra coisas novas todo segundo, principalmente, que toda monotonia tem cura. Você vai crescer ainda na velhice, a vida vai te conceder perdas e vitórias. A mesma vida que te trouxe, que deu tua mãe, teu pai, teus amigos, levará esta mãezinha noutro instante. É duro não lembrarmos, na maior parte das vezes, como vimos os seus rostos pela primeira vez. Qual foi a primeira palavra. O tempo levará também tuas poesias ou pro esquecimento, ou pra agenda de um amigo, ou para a eternidade, te trará amargas e também maravilhosas recordações. Chegará um momento em que não seremos tão diferentes, muito menos iguais. Você terá já seu CPF, RG, receberá uma codificação única na sociedade, e muitas vezes se questionará sobre si mesmo. Ou tentará nada questionar, fugirá de qualquer controle alheio ou de si próprio. Tanta coisa vai entrar no coração, lá mesmo vai se acabar, lá mesmo irá se juntar a outros elementos. Vai amar outro alguém, noutro instante pode até desejar que esteja morto, nunca ter conhecido. Vai prometer a si mesmo que nunca mais. E num piscar de olhos toda carne e alma se derretem perdidamente em incontroláveis e contidos desejos. Haverá muita coisa mais forte que você, seus princípios e seus pensamentos. Bom é que exista uma noção mínima do que esteja acontecendo.
"Kelo sê méudico. Pa tatá duss dodói. Vou encher tia de jóias. Eu quero um carrinho. Bora brincar!
Quando eu crescer..."

Salmo 3.5


Salmos Cap. 5 , Vers. 3
Eu me deitei e dormi; acordei, porque
o SENHOR me sustentou.

Alexsander de Carvalho, meu amigo

Alexsander de Carvalho Silva, meu amigo, este simpático e humaníssimo menino, cidadão cabedelense, com o qual tive a bendita sorte de estudar e concluir o curso de Jornalismo na UFPB. Ele simplesmente ganhou o prêmio de melhor livro geral e melhor livro na categoria Vida Cristã, no PRIMEIRO CONCURSO LITERÁRIO EMILIO CONDE (CONEC), promovido pela CPAD (Cada Publicadora das Assembléias de Deus), cuja premiação ocorreu durante as solenidades da 19ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo, na cerimônia de comemoração dos 66 anos da editora, com o livro "A Jornada".
Segundo Alexsander (Sandrinho) o livro foi escrito com a intenção primordial de participar do concurso, porém o projeto foi sendo mudado gradativamente à medida que ia sendo escrito, num período de basicamente dois meses até sua concretização, quando "A Jornada" tomou um rumo bem diferente do que ele imaginava. Concorreram ao prêmio 573 trabalhos em 7 categorias diferentes. Uma honra para a Igreja Assembléia de Deus de Cabedelo, para sua família, seus amigos e todos os que o conhecem e também para o próprio município de Cabedelo, onde reside, carente de jovens vencedores e de referenciais em termos de perspectiva intelectual, uma vez que a maioria dos jovens rapazes da cidade depositam sua esperança em ganhar os mares (e dinheiro) com embarcações intercontinentais, e onde também a atividade cultural e intelectual costuma ser desprezada, quase inexistente. Alexsander estava ainda cansado quando nos encontramos e disse estar extremamente surpreso com a premiação, porque, dentre outros obstáculos, no processo de criação houve contantes problemas com o computador que quebrava insistentemente e que por um milagre voltou a funcionar. O prêmio além de uma melhoria na auto-estima, lhe rendeu um chequinho de cinco mil reais. Um bom estímulo. Após a divulgação do resultado perante uma platéia de quase 300 pessoas, houve uma sessão de autógrafos. Alexsander destaca dois momentos deste sonho mais do que realizado: quando seu nome foi anunciado como sendo o vencedor do prêmio. Segundo, quando do seu retorno ao lar, onde no aeroporto lhe esperavam mãe, irmãos, avós, tios, primos, amigos, todos gritando apaixonadamente seu nome. O nome deste pequeno Davi, que venceu os terríveis Golias que ultimamente se levantaram em sua vida. Sua família chamou tanta atenção que os funcionários e demais passageiros ficaram todos curiosos e confusos sobre o que estava acontecendo. "Pra mim foi um momento maravilhoso, inesquecível!", conta Alexsander. Mas, Deus é aquele que surpreende e reserva tesouros inesgotáveis, conforme sua multiforme sabedoria. Deus lhe deu resposta. Alexsander conta que de agora em diante precisa se acostumar com coisas que sempre temeu: a exposição e o contato com o público, já que, consequentemente, muitos vão querer conhecê-lo e ouvi-lo falar de sua experiência. Não é sempre que um paraibano ganha um prêmio de reconhecimento nacional, mesmo que seja de cunho evangélico, pois é incontestável que a nação evangélica do Brasil já atingiu um significativo percentual numérico. O livro "A Jornada"já está à venda no site da CPAD por R$ 25,02.
Para terminar, uma palavra do próprio Alexsander: "Relembrando tudo o que passei de janeiro pra cá, eu vejo que tudo foi um momento de preparação da parte de Deus para uma reflexão sobre minha própria vida, para receber de Deus este presente. Porque tudo foi um presente de Deus pra minha vida!"

Felicidades

Felicidades.
Sem palavras. Todas escaparam, se esconderam,
Pediram um tempo, pediram pra pensar,
Outras se danaram, outras jamais existiram.
Felicidades. Toda palavra se cansou,
Meus olhos começaram a pesar
A imaginação e o pensamento escorregaram,
As ideias apagaram.
Não sei o que fazer, não sei como começar.
Não sei como terminar.
Felicidades.

Queria que eles estivessem aqui

terça-feira, 14 de março de 2006

Queria tanto que minha família conhecesse minhas formas de expressão, conhecessem o que tenho pra falar. Eles nunca estão onde eu estou, apesar de estarmos juntos nas horas mais difíceis. Eu sei que isto não é pouco. Minha comunidade não parece muito achegada à internet, tampouco apreciam uma leitura mais aprofundada de seja lá o que for. Digo que não sei se o problema está em mim, porque eu poderia me aproximar melhor deles. A realidade é muito rápida, exige respostas rápidas. Na prática, apenas margeiam a superfície da alma. Eu sou tão vagaroso com a realidade, deixo tanta coisa pra depois. Às vezes, eu me esforço para que meus atos falem por mim, porque minha família algumas vezes fica esperando que eu diga que os amo, e isso pra mim é muito difícil, porque nem toda hora o coração parece estar pronto e não quero mentir sobre isso. Eu só espero apenas que me tratem bem, que se lembrem do meu aniversário. Claro, sempre espero um presente caro, mas acho que eles nunca puderam comprar algo de muito valor. Já eu adoro dar presentes caros (pro meu baixo ordenado), com um belo cartão e uma mensagem maravilhosa. Fazer surpresas, mas sem ostentações públicas. Tem que ser eu e a pessoa. Como posso ainda ter resquícios de um retrógrado materialismo? Eles estão sempre em algum outro lugar. Mesmo que estejamos sentados lado a lado. Sei que posso contar com eles sempre. Não posso me queixar de coisa alguma. Às vezes fico procurando uma coisa em que eu dependa intensamente deles, apenas para que sintam que são úteis, mas não é isto que, no meu entender, pode caracterizar uma relação baseada no amor. Tudo tem que acontecer naturalmente. Não sei se tomo muito cuidado com as palavras, e frequentemente me pego pedindo desculpas. Se sou direto demais se espantam, se me calo, se espantam. Mas, normalmente, nosso maior diálogo se passa no silêncio. Fiz este blog como uma forma de me expor, mas os que convivem comigo todo instante, não consigo compartilhar com eles. Também fazer de um blog um ponto de encontro, parece algo onírico, porque o tempo passa, e parece que vou ficando ainda mais ilhado. Existem muitas limitações. E eu como sempre viro meu único expectador. Rindo de mim mesmo. Chorando sozinho. A maioria dos choros devem ser escondidos, porque este mundo é muito perturbado. E, sem generalizar, esconder os sentimentos mais reais parecem fazer parte do manual de sobrevivência da espécie humana. Eu queria trazê-los pra cá, mas todos têm que trabalhar muito. Meus melhores amigos não se importam nenhum pouco com Internet. A maioria é muito humilde, e mesmo os mais abastados não gostam muito do mundo digital, e o utilizam mais como uma forma de ver receitas, notícias, resultados dos jogos, tabelas de campeonato, querem baixar jogos, etc. De repente, neste agora, me sinto egoísta. Acho que estou tentando compensar uma falta minha. Eu raramente os visito, me acostumei a que viessem em casa, já que aqui estão nossos pais e única avó viva. Meus irmãos moram longe. Eu moro com minha mãe, meu pai, minha , e eles têm um zelo extremo pela minha pessoa. Apesar de me achar pobre, sei que sou mimado. Talvez, isto tenha me impedido um pouco de lutar mais pela vida e de me aventurar por regiões mais inóspitas, onde emoções mais fortes poderiam me invadir a vida. Tudo bem, estou ainda acreditando que este diário terá uma continuação. Meus diários de papel parecem menos seguros, mas guardo segredos maiores, e eles só têm alguma importância pra mim. Aqui, apesar de toda avalanche de universalização, estou menos visível, mais escondido. Talvez, por isto, esta chama renasça, porque na quantidade infindável de verbos, expressões e silêncios, estou boiando num mar sem fim, como um barquinho minúsculo, frágil, sabendo que nunca vou compreender esta imensidão. Minha mãe me ama tanto. Meu pai se preocupa demais comigo, apesar de sua debilidade e quebrantamento. Minha ainda me ensina, ainda está aqui. Minha alma gêmea - não digo isto num sentido espírita, porque sou evangélico e não creio nisto - deve estar em algum lugar. Sei que tenho fantasias. Ah! E como as tenho! É difícil não ter, sempre fui muito fantasioso. E me irrita saber que isto se torna evidente. Nada de anormal. Eu teimo em me assustar com coisas comuns a qualquer ser humano. Hoje, eu saí com eles pra respirar bastante. Respirar ar puro. Ultimamente, o ar puro me fez tanta falta, esta carícia da natureza sobre o corpo. É, o dia foi perfeito. Existe o problema que começou na data desconhecida, existe uma solução para uma data desconhecida, e o dia foi perfeito. Não houve explosões, nada tirou minha tranquilidade. E o vento me recobriu totalmente. O dia foi perfeito. Se eu me concentrar só nesta proximidade física e silenciosa dos que me amam já poderei morrer em paz, se esta fosse uma opção minha. Eu não quero morrer tão cedo, apesar de saber que posso encontrar a maldade na próxima esquina, saber que alguém pode me ofender com alguma palavra, um gesto impensado ou saído do fundo vil de uma alma. É uma pena que existam pessoas más. Se fôssemos todos unidos, se vivêssemos apenas para ajudar um ao outro, para ajudar a alcançarmos todos um objetivo maior de uma sociedade em que houvesse justa distribuição de riquezas e de paz. Isso é tão utópico, mesmo em meu coração senti muitas vezes este asco de querer algo maior, melhor, superior, senti a inveja, o egoísmo, a cobiça, o assassínio, e não me sinto bem com esta lama me perpassando, mas a natureza humana... Talvez eu pense muitas besteiras. E isto esteja sendo meu grande impedimento: não viver a realidade. O palpável, o que é inevitável. Até minhas paixões foram todas platônicas. Tive medo quando notei o interesse de alguém por mim. Medo de que me tirassem desta bolha de segurança. E por diversas vezes quis encontrar alguém que rompesse com todas elas por mim. Só que esta TAREFA É MINHA. Ou de que eu descobrisse que não sou tão único e especial como pretensamente imaginava ter sido. Ou medo de ter que arcar sozinho com a realidade. Entendo, hoje, a Neverland. Mas, sei que em meio a tudo isto, sou uma pessoa muito forte, porque não me tornei uma pessoa má. Tenho até raiva quando digo do quanto fui perseguido por tanta gente, e do quanto o destino tentou me converter num objeto. Se eu disser que batalhei contra vários demônios, dirão que enlouqueci. Minha realidade, apesar de tudo, é verdadeira. Eu trabalho desde meus dezoito anos, cheguei a ganhar a quinta parte de um salário mínimo, fui tantas vezes humilhado, tantas armadilhas, maledicências me cercaram, tanta incompreensão, julgamentos, tribunais e testemunhas infiéis tentaram me tragar a vida, o moral, meu brio. Eu escapei e, definitivamente, não suporto a maldade. Não digo que não tenha meus impulsos carnais, que não tenha perdido a calma, que não tenha cometido minhas burradas. Já falei pornografias, já cutuquei a ferida alheia. Mas eu nem posso contar. Só Deus sabe que é verdade o que não posso contar. Eu me olho no espelho e sei que estou longe de ser um mentiroso. Ah! Mas, eles, como sempre, estão do meu lado e isto torna o dia perfeito. Deus ainda tem me suportado. Este nome Deus tem me doído, porque eu depositei tudo o que sou nesta esperança. E eu espero a bomba de Deus, a explosão de Deus. Por um lado sou ingratísssimo, por outro não consigo entender a Deus. Eu quero amá-lo por tudo o que Ele me deu e fez. Por outro lado, penso no que Ele já deixou acontecer comigo e no que ele não me deu. Penso no silêncio dele quando eu esperava tanto que Ele falasse alguma coisa. Preferiria raciocinar apenas quando necessário e ter sensações só nos momentos adequados.
Vou respirar fundo novamente, afinal, o dia foi perfeito. Se eu não pensar em nada, se eu não lembrar de coisa alguma que me perturbe. O dia foi perfeito.

Quando há algo errado

Quando há algo errado o mais coerente é pensar e buscar uma solução. Ela existe? Detectar o erro, como ele se manifesta e por quê é o primeiro passo. Admitir que aquilo é um problema é outro passo. Avaliar de que modo e até que ponto aquilo pode atrapalhar minha vida, mais um passo. Procurar uma solução adequada, não qualquer uma, não qualquer coisa vendida na primeira esquina, mais e mais passos. Fazer o possível para tirar o máximo proveito de cada momento, nem que seja um sono bem pesado. Não deixar que o desespero tome conta enquanto o mal não estiver completamente vencido. Adaptar-se, sem perder tempo lamentando todo instante a mesma dor. Aprender a suportar a dor da espera, a não desistir de esperar, a crer cegamente numa melhora, se for o caso. A fechar os olhos de choro, mas sem perder a visão do amanhã. Se bruscamente te disserem que é impossível, olhe ao teu redor e veja que até bem pouco tempo tanta coisa que te cerca foi considerada impossível. E o tempo ainda não aprendeu a parar. Pense em tantos que dizem ter alcançado milagres. Milagre, milagre, chega um ponto em que só um milagre! Crer ainda é uma possibilidade!

Nada muda se você não mudar

segunda-feira, 13 de março de 2006


Hoje, eu disse à minha mãe: está tudo tão igual aos dias de sempre, não acontece nada novo. Eu queria que Deus fizesse algo novo em minha vida. Algo bom, porque de coisas ruins eu vivo correndo e me escondendo. E, no mesmo instante, fui ver meu e-mail e recebi esta mensagem do grupo http://br.groups.yahoo.com/group/Assembleia-de-Deus-no-Brasil/ :
"Sua vida não muda quando seu chefe muda, quando sua empresa muda,
quando seus pais mudam.
Sua vida muda quando você muda !
Ela só muda quando você toma uma atitude, quando você ora e pede
ajuda, quando você busca do fundo do coração para que Deus o ilumine e
abençoe ...
O meio de ser feliz consiste em contribuir para que outros também o
sejam, por isso ore também pelos seus amigos e conhecidos, além, é
claro, de sua família.
Onde há muito amor há sempre milagres, e o impossível acontece !"

Resumindo:
Atitude, fé, amor

Luz, câmera, ação!

"...como na Ilha da Fantasia..."

domingo, 12 de março de 2006


"como na Ilha da Fantasia, lembra...?)... tenha uma ótima semana cheia... de realizações!"
Fantasias e realizações, par perfeito, parece que não foram feitos um para o outro, tão difícil de conciliar. De repente estou fisicamente no meu quarto, mas dentro de mim está uma águia predadora atrás de suas presas, a fim de devorá-las sem piedade, primeiro, com minhas garras querendo enfiar cada unha afiada no pescoço da indefesa e ligeira vítima. Prefiro as presas rápidas, difíceis de capturar. Mas, tudo é tão fácil para esta águia traiçoeira, impiedosa e infalível. Seu olhar não possui nenhum sentimento. Sou, enfim, a representação da morte. Fria, indomável, da qual não se pode recorrer, correr, inquirir, vencer. E enfio meu bico, despedaçando a presa sem nenhuma pressa, basta uma bicada e está feito: seu sangue verte debilmente, molemente. E rejeito o prato, acho-o vil e seboso, deixo-o para os urubus, que percebendo meu afastamento, vêm se alimentar daquele suculento prato, são os emissários da morte. Por fim, o tempo, dono de tudo, envia sua Águia para mais uma missão. Seu olhar de completo desprezo mata as mais singelas flores, montanhas viram pó, cidades do mais estupendo vigor e riqueza viram sepulcros abismais e desérticos. A luz torna-se negridão. Suas asas levantam vôo solene e o vento que delas emana provoca tempestades e tufões. Não há nela felicidade, não há nela maldade. Seu existir é cumprir o inexistir. Sou esta Águia, sou esta fantasia. Eis que ouço uma voz me chamando rapidamente à realidade: uma voz distante, partindo de todas as direções! Imperiosa! Preciso partir, mas dominado pelo meu eu, ainda tenho uma fantasia, eliminar esta Águia. Assim vôo para uma enorme e bravio mar, duelamos eu e eu mesmo (eu fantasia, eu realidade/eu predador, eu presa), caímos brigando selvagemente no fundo daquele mar. A águia letífera contempla seu próprio rosto e mesmo assim continua inabalável, mas em seus olhos está meu ódio refletido. Ela rasga seus próprios olhos, pois é só lá que me vê. Cega, penso em tudo que já foi destruído no meu coração, assim sinto que ela se fortalece, penso, então, que sou feliz, ela se enfraquece, fico ainda mais feliz, ela se contorce, diminui, e morremos afogados. Porém, a morte já não existe. Assim, acordo, vivo e feliz. Não mais ilhado na esperança cega, mas certo de que posso vencer o que me ameaça e constrange!
Homenagem ao artista Audaci Júnior
http://euodeioissoaqui.zip.net/

Maturidade

Apesar de ser adulto, me considero ainda em processo de amadurecimento, do modo que pude compreender o que é maturidade. Sempre batalhei contra o estereótipo da maturidade, pois nunca me enquadrei no que as pessoas exigiam quanto o assunto era este, nem nunca me importei se havia esta expectativa.
Foi por conta destas cobranças que me comparei, repensei meu modo de viver, de ser, de me relacionar com as pessoas e comigo mesmo. Achei que quando alguém lhe cobra isto demais e de modo destrutivo, este mesmo alguém é fariseu, prega uma coisa que ele mesmo não possui. Maturidade implica em respeito, principalmente à individualidade, daí que há um despreparo para as pessoas separarem maturidade de aspectos mais individuais.
Achei que muitos fazem o que a maioria faz por impensada imitação, porque daquela forma ela será aceita e se encaixará naquele grupo, o que lhe pode garantir estabilidade, confiança, auto-estima e respeito. Assim, bebem entre os que bebem, se embebedam e procuram curar suas loucuras e normalidades na bebedice, brincam, se fantasiam no carnaval para, assim, estarem dentro dos padrões estabelecidos. Apesar de amadurecerem, são incapazes de ter relacionamentos sóbrios, continuam na infidelidade, continuam falando muitas asneiras, não podem ser extravagantes. Não podem gostar de carrinho, de ciranda, de pular corda, de pirulito. O homem não pode beijar carinhosamente o rosto de outro homem, a mulher pode, do contrário, o homem tem algo de errado! Tem que aparentar decisão.
Continuam valorizando as coisas estritamente materiais, se comportam de modo a ocupar o espaço social que lhes está destinado. Os assuntos não podem ser diferentes dos da maioria. Não me preocupo mais com isto, uma vez que, hoje, me vejo cumpridor das minhas obrigações de direito para com as pessoas, para com o meu nome, com a Pátria, com o próximo. Tenho meu caminho e não vejo porquê seguir o caminho de outra pessoa, pisar onde a mesma já pisou. Mas, no processo de maturidade, sobretudo num país pobre como o Brasil, o que dói de verdade é saber como as pessoas mudam, se relacionam e mantêm elos de acordo com similaridade de status social, de interesse.
Quando você olha pra trás e diz: quando tínhamos 6, 7 anos brincávamos tanto no quintal lá de casa, hoje, ele (a) está com um padrão de vida tão alto e nem sabe se algum dia eu existi. A verdade é que ela sabe, mas você não faz mais parte dos interesses dela. Não é mais necessário. Para você a amizade foi real, a entrega mas para ela, certamente que não nem nunca será. Quando você olha para pessoas que de algum modo lhe conheceram, sabem do seu potencial e das suas debilidades e de vontade própria se esquecem de você. Sim, você nunca fez parte do mundo delas, você as divertiu, foi útil em algum momento e agora não é mais necessário.
Você lhe deu textos belíssimos, vocês conversaram coisas tão profundas, e ela até disse que você é especial. E, hoje, o que há de especial? Você não pode fazer nada do que ela quer ou precisa, então você passou, não existe mais razão de ser. Você passou como vento, talvez até indesejável. Alguém lhe pediu para que orasse por ela, lhe pediu ajuda, disse que estava numa situação complicadíssima. Naquele momento, ela creu que Deus poderia agir por seu intermédio. Uma vez que ela alcançou o que queria, voltou atrás. Puxa! Que coincidência! Disse ela. Você ainda procurou um movimento de gratidão em seus lábios e cadê? Quando outro amigo estava sozinho, sem saber o que fazer da vida, dividido em pensamentos e decisões contrárias, você não saiu de perto até que ele tomasse a decisão certa, aí ele já não precisa mais de você, e quando você se aproxima, ele faz com as mãos um movimento de xô, como quem diz: Saia daqui, desprezível! Dias depois, lhe pede para que você lhe faça uma mensagem de amizade no diário dele. Você está ao lado de alguém e lhe diz algo da parte de Deus, algo conforme a bíblia, e ele lhe adverte que se você continuar falando lhe deixará ali sozinho. Ora, ele estava do seu lado, sua companhia vale seu silêncio? Esteja só, mas com a palavra da parte de Deus no seu coração. Esta nunca te dará as costas. A sociedade atual crítica insistente e tremendamente a intolerância que existe em algumas facções muçulmanas, como se nela mesma houvesse essa tolerância, essa beleza na alma, esse carinho e respeito para com o coração das pessoas. Esta sociedade possui todos os méritos para julgar os absurdos e, ao mesmo tempo, possui todos os méritos para ser incapaz de julgar estes mesmos absurdos. A verdade parece sempre estar do lado de quem tem poder e força pra vencer, isto é, se impor sobre os demais. Sem apologias à violência. Sou contra todas, mas precisamos amadurecer, reaprender nosso modo de amadurecer.
 

Estatísticas

Blogger WidgetsBlog statistics Widget For Blogger

Link-Me

Receber atualizações por e-mail

Enter your email address:

Provido por FeedBurner

Seguidores do blog

Mais lidos

Compartilhe